Quinta-feira , 19 Outubro 2017
Últimas Publicações
Home / Colunistas / A manchinha de molho

A manchinha de molho

Existiam dois reinos vizinhos, o reino de Astolfia que era governado pelo rei Astolfo e o reino de Jacintolândia, cujo monarca era o rei Jacinto.

Os dois reinos viviam em paz e harmonia. A população de ambos os reinos tinha passe livre para circularem de um lado para o outro, assim existiam muitos amigos entre os países e até laços familiares nos dois reinos.

Os reis também eram amicíssimos, sempre se visitavam para grandes banquetes e festas.

Num jantar oferecido pelo rei Jacinto ao rei Astolfo, foram servidas grandes quantidades de carnes, legumes, frutas e massas. Ao se deliciar com uma bela macarronada, rei Astolfo deixa respingar o molho sobre seu manto real. O rei Jacinto ao ver a manchinha de molho comenta sorridente:

– Parece que seu manto possui agora uma florzinha vermelha.

Ao ouvir tal comentário, rei Astolfo não gosta, pois nunca em sua vida usaria qualquer roupa com uma florzinha vermelha, achava que aquilo feria sua masculinidade.

– Por acaso o senhor está insinuando que minhas vestes são afeminadas?

Rei Jacinto achando se tratar de brincadeira cutucou:

– O que tem de mais? Hoje é moda.

Rei Astolfo se levantou com o dedo em riste e com a cólera dos irados:

– Você vai se arrepender por essa insinuação! De hoje em diante estamos em guerra!

E, assim, começou a sangrenta guerra entre os dois reinos. Todos os homens, jovens e até crianças foram para o front de batalha. A cada dia aumentava o número de mortos e feridos.

Grandes amigos estavam em lados opostos, parentes lutavam entre si. A carnificina era geral.

Depois de dois meses e muito sangue, rei Jacinto convida rei Astolfo para conversarem e buscarem um entendimento da melhor maneira possível.

Encontraram-se num palácio sobre uma colina em local neutro, mas onde avistavam os dois reinos com vários pontos em chamas e até ouviam os gritos de desespero das duas populações se digladiando.

Sentados em duas confortáveis poltronas, com vários quitutes e bebidas, sendo massageados por servas seminuas, os dois reis conversavam.

– Rei Astolfo, meu exército conseguiu derrubar 400 homens de sua infantaria somente em duas horas!

– Ora rei Jacinto, isso não é nada. Matamos todos os moradores de uma vila do seu reino em apenas meia hora.

Ficaram os dois reis contando vantagens e observando seus súditos matando um ao outro por duas semanas até que 95% da população do reino de Astolfia estava morta e a guerra chegava ao fim.

Rei Astolfo ainda com a manchinha de molho sobre o manto real cumprimenta rei Jacinto pela vitória:

– Parabéns! Você é o melhor.

– Liga não! E pensar que tudo isso foi por causa dessa manchinha de molho?

– É verdade. E o pior é que realmente parece uma florzinha vermelha. Você tinha razão.

Ambos dão boas risadas e fica acertado que rei Astolfo [que agora não era mais rei porque seu reino fora entregue ao rei Jacinto] seria o novo conselheiro monetário, iria ganhar um salário gordo e teria todas as mordomias que um ex-soberano merecia.

Sobre Rodrigo Alves de Carvalho

Rodrigo Alves de Carvalho nasceu em Jacutinga (MG). Jornalista, escritor e poeta possui diversos prêmios literários em vários estados e participação em importantes coletâneas de poesia, contos e crônicas. Escreveu para jornais de Jacutinga, Itapira, SP; Mogi Mirim, SP; Pouso Alegre, MG; Ouro Fino, MG; Espirito Santo do Pinhal, SP; Campinas, SP e Belo Horizonte, MG.

Confira Também

fabi-site

O exercício ideal para cada fase da mulher: gestante

No último artigo escrevi sobre como conciliar o exercício físico com o dia-a-dia corrido da ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *