Quinta-feira , 19 Outubro 2017
Últimas Publicações
Home / Colunistas / Aos sapatos que apertam os pés

Aos sapatos que apertam os pés

Aos sapatos que ao comprá-los experimentamos e temos a total certeza de que ficarão perfeitos e logo quando usamos a primeira vez, castigam nossos pés e torturam nossa alma, só tenho uma coisa a dizer:

– Ingratos!

Pois a compra de sapatos novos é um acontecimento especial. Este calçado permanecerá conosco por um bom tempo, nos acompanhando em momentos felizes de nossa vida e sendo companheiro nas horas tristes também.

Por isso, quando escolhemos um sapato ou tênis novo, estamos escolhendo um amigo novo.

Temos nossos modelos preferidos, marcas preferidas e cores de nosso gosto, mas quando chegamos à loja e deslumbramos uma vitrine repleta de sapatos ou tênis novinhos, pedindo para serem seus amigos, ficamos comovidos, fascinados e duvidosos entre tantas possibilidades.

E a cada sapato que experimentamos, estamos nos tornando mais íntimos daquele calçado, como um bate papo informal com alguém que acabamos de conhecer. Reconhecemos ali se aquele sapato terá potencial para ser nosso confidente e andará conosco em nossas trilhas da vida.

Infelizmente nem todos os sapatos ou tênis são compatíveis com nosso jeito de ser, ou melhor, com o número de nossos pés. Entretanto, sempre existe um ou outro par que cairá perfeitamente em nossos belos pezinhos [no meu caso um belo pezinho número quarenta e quatro].

Após escolhermos nosso novo amigo, levamos com carinho e empolgação para nossa casa, onde ao calçá-lo, exibimos o novo companheiro para os familiares e outros amigos de carne e osso.

Enfim, ficamos satisfeito pela aquisição, sabendo que algumas pessoas ficarão invejosas pela beleza e design do sapato novo e isso nos deixará com certa pontinha de orgulho.

Calçamos o amiguinho novo e vamos para a rua, ou para a festa, ou para o trabalho ou qualquer outro lugar onde permaneceremos um bom tempo juntos, quando percebemos a ingratidão e maledicência que apertam os dedos, arrancam a pele do calcanhar ou simplesmente não nos deixam andar…

O encanto acaba e dias tristes se seguem. Dor, melancolia… E um par de sapatos novinhos é rejeitado, esquecido e passado para frente.

A amizade dura pouco e o que fica de tudo isso e a certeza de nunca mais cometeremos o mesmo erro, nem que seja para comprarmos sempre um número a mais.

Sobre Rodrigo Alves de Carvalho

Rodrigo Alves de Carvalho nasceu em Jacutinga (MG). Jornalista, escritor e poeta possui diversos prêmios literários em vários estados e participação em importantes coletâneas de poesia, contos e crônicas. Escreveu para jornais de Jacutinga, Itapira, SP; Mogi Mirim, SP; Pouso Alegre, MG; Ouro Fino, MG; Espirito Santo do Pinhal, SP; Campinas, SP e Belo Horizonte, MG.

Confira Também

fabi-site

O exercício ideal para cada fase da mulher: gestante

No último artigo escrevi sobre como conciliar o exercício físico com o dia-a-dia corrido da ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *