Quinta-feira , 14 Dezembro 2017
Últimas Publicações
Home / Cidade / Apae necessita de ajuda urgente para repor alimentação de alunos

Apae necessita de ajuda urgente para repor alimentação de alunos

Foto: Otávio Bueno

A Apae [Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais] – Mogi Guaçu, que atende 280 pessoas, sofreu quatro furtos em quatro dias. Somente neste ano foram realizados cerca de 12 roubos na instituição.

Foto: Otávio Bueno
Foto: Otávio Bueno

Entre os produtos levados pelos criminosos, está todo o estoque do suplemento alimentar Nutren Junior, alimento que muitos alunos consomem diariamente no café da manhã, almoço e jantar. Cada lata do produto custa R$ 53,30.

“O Nutren Junior é uma dieta enteral porque essa é a única alimentação dos usuários que fazem uso de sonda e eles só se alimentam com este suplemento alimentar especificamente. Utilizamos em média 30 latas por mês”, explica a diretora da instituição, Cleusa de Fátima Salvador de Santana.

Foram furtados pelos ladrões, 10 latas do suplemento alimentar, 20 kg de peixe, 15 litros de óleo, 10 kg de pó de café, 25 kg de arroz, 10 pacotes de achocolatado, oito pacotes de pipoca e, também, pacotes de bolacha água e sal. Entre os bens materiais roubados estão um fogão [quatro bocas], um micro-ondas, um multiprocessador e três cotas de botijão de gás cheio.

“Nossa maior dificuldade neste momento é a reposição do estoque de Nutren Junior e das guarnições das refeições, como o peixe”, fala a diretora.

Cleusa Santana pede encarecidamente para toda a população que ajude a Apae a superar este período de grande adversidade com doações de equipamentos, alimentos e em espécie. “Já entramos no vermelho em 2017 e, agora, nos acontece isto”.

Para os ladrões, a diretora da Apae diz que “infelizmente, hoje em dia quem subtrai coisas que não são delas, já tem isto como profissão. Mas peço a eles que reflitam que: uma coisa é roubar de quem tem e outra de quem não tem e precisa desta coisa para viver”.

Apae

A Apae – Mogi Guaçu foi fundada em fevereiro de 1973, e é uma escola de Educação Especial, sendo a única preparada na cidade para receber pessoas com deficiência intelectual.

Na instituição trabalham 21 professores e 46 funcionários que atendem 280 usuários. Para manter os assistidos, a receita fica em torno de R$130 mil por mês.

Doações

Interessados em ajudar podem obter mais informações por meio dos contatos de:

Telefone: (19)3861.1234

E-mail: direcao@paemogiguacu.org.br

Ou diretamente em espécie na conta bancária da Apae:

Banco do Brasil

Agência: 6652-4

C/C: 2698-0

Sobre Flávio Ribeiro

Graduado em Comunicação Social - Jornalismo pela Pucc - Campinas. Editor-Chefe e Repórter da Revista O Pólo - Agência ODBO, é o responsável pela checagem e produção das reportagens e artigos e, também, da edição final da revista. Exerceu a função de Assessor de Imprensa de Gestão Pública e trabalhou em meios de comunicação como o Jornal Gazeta Guaçuana, Jornal Cidade e estagiou na EPTV Campinas.

Confira Também

Flavia Lima Morgon

O poder do diálogo

Há dezoito anos trabalhando como psicóloga, sempre penso sobre o significado e a importância de ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *