ColunistasMercado

Cenário econômico pós eleição

Quais serão os problemas que o futuro presidente da República Jair Bolsonaro, encontrará nos próximos quatro anos e quais serão as soluções para os mesmos?

O Brasil está com as contas em crise, PIB modesto, alta taxa de desemprego, juro básico relativamente baixo, inflação comportada e as reservas internacionais. Esses são os indicadores econômicos e principal tema a ser abordado pelo presidente eleito, onde seu maior desafio será a retomada do crescimento econômico.

Os indicadores apontam as seguintes informações;

*Contas públicas:  registradas em 2018, se deu como o quinto ano consecutivo de déficit e soma sem contar os juros cerca de R$ 159 bilhões.

*Dívida pública: com a piora das contas públicas nos últimos anos, a dívida bruta do setor público consolidado [governo, estados, municípios e empresas estatais], segundo dados do Banco Central, atingiu o patamar de R$ 5,165 trilhões, ou seja, 77,2 % do PIB, novo recorde histórico. Bem acima da média dos países emergentes [países que saíram da estagnação e estão em pleno desenvolvimento], de cerca de 50% do PIB.

*PIB [Produto Interno Bruto]: depois da economia ter ‘saído’ da recessão, o PIB brasileiro cresceu 0,4% no 1º trimestre de 2018. Mesmo assim, a recuperação econômica ainda segue em ritmo considerado lento e o valor apurado em R$ 1,6 trilhão.

*Desemprego: o número de desempregados continua relativamente alto, equivalente a 13 milhões de brasileiros.

*Taxa básica de juros Selic: é um ponto forte,  no patamar mínimo histórico de 6,5% ao ano e uma inflação bem comportada.

*Reservas Internacionais: não temos apenas indicadores negativos, a economia brasileira tem uma proteção no que se refere ao saldo da balança comercial [importação e exportação de bens e serviços], saldo positivo, o depósito de moeda estrangeira que o Banco Central compra, proporciona uma certa segurança contra crise. Atualmente, o Brasil possui uma reserva  de US$ 380 bilhões.

*Dólar: a cotação do dólar teve uma queda discreta, os investimentos se tornaram favoráveis e esses fatores causam um certo ânimo, economicamente falando.

Em geral, isso quer dizer que estamos avançando a passos lentos e mesmo com o apontamento dos números, com a oposição tentando eliminar a esperança dos brasileiros e ministros elevando os gastos públicos a despesas extras desnecessárias, seguimos acreditando que o Brasil é um grande país para se viver e que lutaremos por ele, com as armas que possuímos, confiando que temos condições de reerguer e estabilizar a economia do nosso país.

Tags
Mostrar mais

Jaciara Briani

Jaciara Briani, 42, é graduada em Economia pela Puccamp [Pontifícia Universidade Católica de Campinas], com aperfeiçoamento em Engenharia Econômica pela USP [Universidade de São Paulo]. Atualmente, graduando-se em Gestão em Finanças pelo Damásio Wyden [Campinas].

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Verifique também

Close
Close