Quinta-feira , 14 Dezembro 2017
Últimas Publicações
Home / Variedades / Descontração da alma

Descontração da alma

Foto: Lucas Góis

Quantas vezes em nossa vida passamos por situações que nos deixaram cabisbaixos, desanimados e, quando ouvimos uma determinada música, o nosso astral se transforma da água para o vinho.

“A música é o meu ofício”, diz o produtor artístico Fred Rossi, que nasceu em Andradas [MG], mas define-se como um ‘andradense/mogimiriano/guaçuano’, porque na adolescência morou em Mogi Mirim e pelo fato de sua família residir Mogi Guaçu.

Conceituado empresário no meio cultural do Brasil, ele começou a sua trajetória no show business em 1973, à frente da carreira do violonista, compositor e cantor da Bossa Nova, Paulinho Nogueira.

“No mesmo ano, Paulinho me apresentou Toquinho e iniciou então, uma longa relação profissional e de amizade. Trabalhamos juntos por 25 anos. Também com o Toquinho conheci Vinicius de Moraes, de quem fui amigo e o último empresário”, conta.

Fred Rossi que é proprietário de uma produtora em São Paulo destaca que a música é uma ferramenta para a motivação pessoal e, também, para um grupo. “Um dos efeitos positivos da música vem da capacidade de envolver o ser humano e preparar o corpo para uma ação sempre que estamos diante de um desafio em nosso ambiente”.

Destaca também que música tem apreciação por todos os gêneros musicais desde que com qualidade. “Sempre preferi grandes composições”.

Música e vida

O empresário comenta que existe uma para cada tipo de situação e como qualidade de vida, ela é essencial. “A música serve para motivar funcionários de uma empresa, uma equipe de esporte ou enobrecer um almoço, tornando-o mais prazeroso”.

Segundo ele, não é toda música que tem este ‘poder’, pois depende muito da situação e do estado emocional que a cada pessoa ou grupo esteja passando.

“Quando um atleta está se preparando para enfrentar um desafio, a música pode ter uma influência positiva em seus pensamentos, fazendo com que sua mente absorva isso e lhe dê motivação para realizar sua tarefa”, exemplifica.

Para o ‘andradense/mogimiriano/guaçuano’ e, hoje, cidadão do mundo, a música é composta por padrões provenientes do som e isso pode ser de grande valia para qualquer atividade física. “Em uma academia, o ritmo tem que ser mais acelerado para que a pessoa sinta vontade de praticar o exercício”.

Mogi Guaçu

Como a música sempre acompanhou Fred Rossi, há cerca de dois anos, ele começou a criar um projeto artístico e musical para as cidades do interior do estado de São Paulo.

Tanto que, entre os dias 06 e 12 de janeiro de 2018, poderá acontecer a 1ª edição do ‘Mandi Festival de Música Livre de Mogi Guaçu’, que será um pequeno mapa da música brasileira, em programação especial planejada para atingir diferentes públicos ao longo de sete dias. “Pretende inserir este evento no calendário oficial de Mogi Guaçu e na programação dos grandes festivais nacionais”.

Fred Rossi diz que o objetivo do evento é promover o festival com ampla participação popular, contribuindo efetivamente para a democratização cultural e desenvolvimento regional e oferecer atividades de educação musical, além da oportunidade de intercâmbio cultural e apreciação artística.

Poderão a vir participar do festival os artistas participantes estão ‘feras’ como: Toquinho, João Bosco, Rolando Boldrin, Elba Ramalho e Kleiton & Kledir. A programação contará ainda com Banda Sinfônica da Corporação Musical Marcos Vedovello, sob a regência e arranjos do maestro Di Carvalho artistas locais e regionais.

Entre os locais de realização do ‘Mandi Festival de Música Livre de Mogi Guaçu’ estão no Parque dos Ingás, antiga Estação Ferroviária, Teatro Tupec do Centro Cultural e Faculdade de Música.

Empresas e instituições interessadas em uma parceria no ‘Mandi Festival de Música Livre de Mogi Guaçu’ têm até o dia 10 de agosto de 2017 a Corporação Musical ‘Marcos Vedovello’ ou com o próprio Fred Rossi.

Produtora

O foco do trabalho de Fred Rossi tem a consultoria como ponto forte. Entre eles:

Ao artista
Para lapidar ou consolidar a carreira o artista consegue, por meio de rigorosa consultoria, identificar prioridades a partir do gênero musical, perfil de público a ser atingido, marketing pessoal, estratégia de comunicação, assessoria de imprensa e criação de material de trabalho.

“São identificados ainda, possíveis contatos diretos com formadores de opinião e divulgadores de todo o país, priorizando as regiões a serem atingidas nas etapas iniciais do trabalho”.

Corporativa
Para alcançar os resultados desejados, um evento exige cuidadoso planejamento, identificando, sugerindo e traçando as etapas necessárias para a realização de um evento, com suporte de planejamento, da pré-produção à pós-produção.

“Direcionamos o formato adequado, com a escolha das melhores atrações artísticas, da equipe de apoio e dos serviços a serem contratados”. 

Criação, produção e direção de eventos culturais
O serviço é indicado para atender todos os segmentos e expressões culturais, música à dança e ao teatro, até a realização de festivais.

“Nossa consultoria está apta a formar uma equipe de profissionais, em parceria com o cliente, para cuidar da criação, produção, direção e realização do evento proposto”.

Coordenação e direção de eventos corporativos
Dirigido ao cliente que já definiu seu evento e requer, para realizá-lo, de coordenação e/ou direção geral.

“Da fase de negociação à finalização do evento, a consultoria atende a todos os detalhes oferecendo um quadro de profissionais de competência em cada setor exigido conforme características do mesmo”.

Agenciamento
Seleção, contratação e produção de artistas de todos os gêneros, músicos, cantores, atores, ilusionistas, modelos, humoristas, performáticos, grupo de danças, apresentadores e mestres de cerimônia.

Festival de Música

Corporação Musical Marcos Vedovello

contato@corporacaomarcosvedovello.com.br

(19) 3841.4909

Fred Rossi

Consultoria artística [11] 3085.0533 / [11] 98408.5769

E-mails: fred@fredrossi.com.br / contato@corporacaomarcosvedovello.com.br

Site: www.fredrossi.com.br

Sobre Flávio Ribeiro

Graduado em Comunicação Social - Jornalismo pela Pucc - Campinas. Editor-Chefe e Repórter da Revista O Pólo - Agência ODBO, é o responsável pela checagem e produção das reportagens e artigos e, também, da edição final da revista. Exerceu a função de Assessor de Imprensa de Gestão Pública e trabalhou em meios de comunicação como o Jornal Gazeta Guaçuana, Jornal Cidade e estagiou na EPTV Campinas.

Confira Também

Flavia Lima Morgon

O poder do diálogo

Há dezoito anos trabalhando como psicóloga, sempre penso sobre o significado e a importância de ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *