Quinta-feira , 21 Setembro 2017
Últimas Publicações
  • Memorial do Príncipe Albert, Kensington Gardens

  • The Shard, edifício mais alto da Europa, visto da Tower of London

  • Parlamento, com o Big Ben, vistos da roda gigante London Eye

  • Parlamento, com o Big Ben, vistos da roda gigante London Eye

  • Parlamento, com o Big Ben, vistos da roda gigante London Eye

  • Tower Bridge

  • Skyline do centro financeiro de Londres e o estádio Olímpico

Home / Colunistas / DIÁRIO DE INTERCÂMBIO

DIÁRIO DE INTERCÂMBIO

O que Londres me ensinou

Em menos de uma semana vou embora de Londres. Ainda não volto direto ao Brasil, mas deixo o lugar que chamei de casa por cinco meses e meio.

Cinco meses e meio é tempo mais do que suficiente para mudar muito. Mas talvez não tenha mudado tanto: quando meus pais e minhas amigas vieram me visitar, em maio, uma das primeiras coisas que disseram foi a de que eu não tinha mudado nada.

Fiquei feliz com isso. Mudar a ponto de não ser reconhecível não seria bom. Mas também fiquei muito surpreso, porque eu achava que tinha mudado tanto naqueles meses. Mas hoje, com mais clareza, eu vejo que não mudei, mas que aprendi.

Aprendi muito sobre minha própria pessoa. Sem televisão no quarto e sem estar totalmente enturmado, meus primeiros quinze dias foram de uma intensidade enorme e contribuíram muito para meu autoconhecimento. Sobre o que me motiva o que me cansa, o que me desafia, sobre minha coragem.

Do outro lado do Atlântico, sem nenhum conhecido a menos de duas horas de voo, outro idioma, indo para minha nova casa de metrô, de cara, num dia de chuva – como tantos outros aqui – enquanto, ainda inverno, escurecia antes das quatro da tarde.

Faria tudo de novo.

Aprendi muito sobre meus amigos. E eu tenho que agradecê-los imensamente porque teria sido tudo muito mais difícil sem eles. Facebook e WhatsApp foram essenciais e eu percebi que em alguns casos – poucos, e isso deve ser frisado – a distância não importa. Igualmente, a minha família. Tenho certeza, que estes meses foram de crescimento para mim e para os meus pais, com o filho único fisicamente tão distante. Meu agradecimento a eles é infinitamente maior e eu percebi que sou muito mais apegado a eles, no bom sentido – sem ser emocionalmente dependente, do que imaginava.

Aprendi que saudade pode até não ter tradução para outros idiomas, mas que todo ser humano carrega um pouco dela. Todos os amigos que fiz aqui, do Oriente ou do Ocidente, sentiam falta de pessoas, lugares, e por mais que amem e sejam gratos a tudo o que vivem aqui, assim como eu, a vontade de dividir algumas coisas com quem está longe é grande e constante. Mas também, que a gente começa a lidar com isso cada vez melhor. Faz parte do crescimento.

Nem tudo que se aprende é doce. Aprender, segundo a Filosofia, causa desconforto. Assim, aprendi que às vezes pessoas que valorizamos não nos valorizam na mesma medida, que alguns esforços são em vão. Que é mais fácil ter um discurso bonito que uma atitude condizente, largar mão do que se empenhar, e que a inveja – não há aqui lugar para eufemismos – faz com que as pessoas percam a noção do razoável, do leal, do justo. Registre-se: eu não.

Aprendi, finalmente, que algumas perdas acontecem quando a gente menos espera, menos se prepara. E que a gente é mais forte do que imagina, levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima.

Londres é cosmopolita. É uma das capitais do mundo moderno, é vibrante, é global, é dinâmica, é delicada, é animada. Londres é minha casa até dia 16 de junho. Mas vai continuar sendo uma das minhas casas mesmo depois disso – afinal, nossa casa é onde está nosso coração. E quem disse que ele está num lugar só?

Sobre Matheus Marchiori dos Santos

Matheus Marchiori dos Santos, 20, cursa o terceiro ano de Direito da USP [Universidade de São Paulo] – Largo São Francisco e está Londres [Inglaterra], fazendo um intercâmbio de seis meses na King’s College London – The Dickinson Poon School of Law. Neste período, fará estudos de LL.B [Bacharelado em Direito] e também será correspondente da O Pólo, relatando quinzenalmente em diário online com artigos e vídeos temas como atualidades e acontecimentos em Londres, calendário cultural, estilo de vida, dicas de viagem, curiosidades e burocracia para estudar fora do Brasil.

Confira Também

img_5406

DIÁRIO DE INTERCÂMBIO

O que tem para o almoço? As comidas típicas britânicas Comer. Rezar. Amar. Há quem ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *