Quinta-feira , 14 Dezembro 2017
Últimas Publicações
Home / Coluna da Fabi / É hora de despedir

É hora de despedir

Foto: Lucas Góis

Na minha primeira coluna de 2016 escrevi sobre as promessas de Ano Novo, o hábito que temos em fazer promessas quando o ano se inicia. Na última coluna daquele ano, sugeri que ao invés de fazermos planos ou listas de boas intenções, que cada um mudasse as suas atitudes. Afinal de contas, a mudança está sempre dentro de nós mesmos. Basta querer.

Na primeira coluna de 2017, escolhi falar sobre procrastinação. Procrastinar é o ato de adiar algo ou prolongar uma situação para ser resolvida depois. O verbo procrastinar é utilizado no sentido de ‘negligenciamento’ de atividades. O ser humano tem como hábito procrastinar. Você sabe por que temos esse hábito?

Uma das respostas que encontrei foi: a natureza da tarefa. Não procrastinamos uma festa, um mergulho na piscina, uma cerveja com os amigos. Deixamos para mais tarde um relatório, uma arrumação no guarda roupa, a criação de um artigo. Tarefas que propiciam prazer rápido são mais fáceis de serem cumpridas.

Citando ainda meu primeiro artigo deste ano, fiz ao leitor as seguintes perguntas:

*Você está procrastinando por que passa a maior parte do seu tempo se ocupando ou produzindo?

*A quantidade de tarefas no seu dia a dia faz com que se perca na hora de realizá-las? Pois bem, dessa vez eu mesma vou responder e vou fazer da forma que mais gosto e sei fazer: contando uma história. Um pouco da minha história.

Desde janeiro de 2017, estou em busca de mudanças profissionais, mudanças estas que afetam diretamente minha rotina. Para isso precisei analisar meu dia a dia. Por isso, já respondo a primeira pergunta que fiz: Sim, eu passava mais horas me ocupando ao invés de produzindo. E essa foi a primeira mudança que me impus no início do ano.

Hoje, nos momentos que não estou dando aula são dedicados a produção. Os momentos de ‘ocupação’ deixei para o final de semana.

A segunda pergunta também teve uma resposta afirmativa: os meus dias tinham tantas tarefas para serem executadas que eu acordava pensando qual delas eu poderia deixar de cumprir.

Então, passei a mudar isso na minha vida e, acreditem, não é fácil. Para uma pessoa extremamente organizada e cuidadosa como eu, não é fácil conseguir deixar para outros algumas tarefas que antes eram feitas só por você. Mas aprendi que isso é possível se você tem paciência e confiar nas pessoas certas. Por isso, peço licença para agradecer a minha equipe: Ana Lívia, Mayara e Raissa. Que cuidam de tudo e de todos com carinho, responsabilidade e profissionalismo.

Por que estou escrevendo tudo isso?

Pois bem, está na hora de me despedir da minha coluna aqui. Durante toda essa minha busca por uma melhora profissional, descobri que algumas coisas precisam ser deixadas para trás. E é com muita tristeza e dor no coração que a Coluna da Fabi vai ficar. Preciso seguir meu caminho e minhas descobertas de outras maneiras.

Fui convidada a iniciar essa coluna em janeiro de 2016. A ideia era levar para os leitores um incentivo a prática de exercícios, dar dicas de saúde, alimentação e comportamento. Minha intenção era levar as pessoas a refletirem sobre as próprias vidas e pensarem em como poderiam mudá-las para melhorarem a qualidade de vida. Espero ter conseguido ao menos colocar uma sementinha em cada uma delas. Foram 22 meses, 75 artigos e muitos amigos que ganhei aqui.

Por isso, só tenho que agradecer a todos da equipe da Revista O PÓLO, em especial ao Otávio Bueno pelo convite e ao Flávio Ribeiro pelas correções, puxões de orelhas, incentivo e elogios.

E por fim agradeço todas as pessoas que durante esses meses se dedicaram a ler o que eu tinha escrito. Todos os comentários, perguntas e sugestões me encheram de orgulho e alegria. Eu vou, mas levo todo carinho que ganhei aqui comigo. Espero encontrar com vocês em breve.

Um beijo e até a próxima

Fabi

“Eterno é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e, nenhuma força jamais o resgata.”

Carlos Drummond de Andrade

Sobre Fabi Matos

Fabiana Nunes de Matos Bueno é graduada em Educação Física e trabalha como personal trainner ministrando aulas de pilates e funcional em seu estúdio.

Confira Também

Flavia Lima Morgon

O poder do diálogo

Há dezoito anos trabalhando como psicóloga, sempre penso sobre o significado e a importância de ...

Um comentário

  1. Tenho o privilégio de conviver com vc , todos os dias.
    E mais ,aprender com vc .
    Sua coluna tb me incentivou muito nesse ano de 2017, coloquei metas na minha vida e cumpri com muita força de vontade.
    Sei que vc,com sua garra ,vai conseguir tudo aquilo que almeja.
    Seja feliz.❤️

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *