Domingo , 19 Novembro 2017
Últimas Publicações
Home / Variedades / Esporte / “É mais fácil ser a vítima”

“É mais fácil ser a vítima”

Foto: Lucas Góis

A experiência da deficiência física faz parte da vida de pessoas que têm uma lesão traumática da medula. A deficiência é entendida como um fato de ‘má sorte pessoal’ e, do ponto de vista social e político, os deficientes são vistos como uma minoria.

“Superação e muita determinação é o que precisamos para encarar essa realidade. É assim que deve ser para dar a volta por cima”, afirma Jesiel Augusto Faustino, 43, que ficou paraplégico há 11 anos.

Jesiel Faustino é casado com Viviane Prado de Moraes Faustino, 38, com que tem três filhos: Vinícius, 16, e as gêmeas Barbara e Lavínia, 1.

Em 2006, sua vida mudou quando retornava de um jogo de futebol com os amigos, hobbie que Faustino sempre teve até este momento.

“Eu voltava para a casa e ao entrar na curva de uma rotatória, uma moto foi fazer retorno e não olhou pelo retrovisor, justamente na hora em que eu estava passando, e bateu na moto na qual eu estava e jogou-me de cabeça na guia da calçada. A pancada foi tão forte que perdi os dentes da boca e esmagou a minha coluna”, conta ele.

Foram 32 dias no hospital e após ressonância para descobrir o que tinha afetado em sua coluna, ele teve que passar por uma cirurgia para colocar hastes sob medida nas vértebras T3, T4 e T5. E, foi nesse momento, a revelação de sua paraplegia.

“Queria morrer e acreditei que minha vida tinha acabado. Na minha cabeça não entrava que teria que viver dependendo dos outros e de uma cadeira de rodas. Foi muito difícil e dolorido para mim e minha família”.

Depois que saiu do hospital, Jesiel Faustino começou a lidar com as dificuldades de adaptação de sua nova vida. “No princípio, tudo era complicado como ter que passar pelas portas de entrada de casa e do banheiro que não tinham acessibilidade e eu tinha medo de me machucar outra vez. Mas aos poucos fui aprendendo e evoluindo”.

O entendimento dessa realidade tornou-se possível quando ele descobriu que não precisava depender de ninguém. “Coloquei na cabeça que é muito mais fácil ser a vítima do que lutar por uma condição de vida melhor. É assim que me mantenho até hoje. Como não posso mais andar com as pernas, toco a cadeira e chego onde quero”.

Cotidiano

A rotina de Jesiel Faustino no dia a dia é totalmente normal. Dirige carro adaptado, leva e busca o filho adolescente todos os dias na escola, faz fisioterapia duas vezes por semana e treina 10h/semanais de natação. “Também cuido de minhas filhas gêmeas para minha esposa poder trabalhar”.

Para ele, o importante é o ser humano saber do que gosta para encontrar paz de espírito e mental. “Sabendo do que você realmente gosta fica tudo mais fácil. Mas é preciso que cada um tome iniciativa em busca de uma excelente qualidade de vida”, finaliza.

Guerreiro

A volta por cima de Jesiel Faustino veio por meio do esporte e com muita garra de viver bem e com qualidade de vida.

Iniciou sessões de fisioterapia na Polem – Mogi Guaçu [Associação de Apoio às Pessoas com Lesão Medular], que atende gratuitamente aqueles que necessitam de cuidados especiais no dia a dia, orientando com psicólogos, terapeutas, acompanhamento nutricional e atendimentos específicos para cada caso atendido, além de promover a reabilitação física, mental e social, mantendo a melhoria de qualidade de vida e a inclusão e reintegração familiar e social dessas pessoas, de forma digna e integral.

“Junto com a fisioterapia, passei a praticar natação tanto de águas abertas como em piscinas. O esporte representa a vitória. Hoje posso dizer que sou vitorioso, pela minha luta, força de vontade e pelas pessoas que me ajudaram”.

Desde 2014, tornou-se atleta paralímpico e compete em nível nacional, sendo credenciado junto ao CPB [Comitê Paralímpico Brasileiro]. Em 2017, Jesiel Faustino ocupa 3º lugar no ranking nacional pela classificação S5, conforme avaliação técnica.

O atleta tem ‘veia’ de vencedor, pois logo na primeira competição que participou em 2013, os Jogos Regionais de Itatiba, disputou três provas e foi medalha de ouro em todas. “Até hoje, consegui subir ao pódio em praticamente todas as provas que participei”, conta.

Um ano depois, obteve as primeiras vitórias em competições de águas abertas nas Maratonas Aquáticas de 1.000 metros livres das Etapas de São Bernardo do Campo [ouro] e São Sebastião [ouro]. E ainda, outro ouro na Maratona de 1.000 metros livres Rei e Rainha do Mar do Rio de Janeiro.

Em 2016, foi campeão do Circuito Netuno de Travessias em São Vicente, nos 750 metros livres das 1ª e 4ª Etapas dos 750 metros livres, além das vitórias do Circuito Caixa de Natação – 3ª Etapa Nacional nos 100 e 200 metros livres.

Neste ano, já competiu em mais três etapas do Circuito Caixa de Natação – Fase Regional -, e conquistou a medalha de prata nos 200 metros e mais dois bronzes nas provas de 50 e 100 metros livres.

Determinado, Jesiel Faustino tem como foco na carreira esportiva disputar os Jogos Paralímpicos -2020, em Tóquio [Japão]. “Trabalho e muito para isso. Porém, preciso de apoiadores e colaboradores, mas está difícil encontrar parcerias fortes”, desabafa.

 

Foto: Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal

Perfil

Nome: Jesiel Augusto Faustino

Nascimento: 09/07/74

Altura: 1,76

Peso: 86 Kg 

Profissão: Atleta Paralímpico

 

 

 

Conquistas

2013

ARN [Associação Regional de Natação] – Águas de Lindóia – Bronze 50 metros livres [prova mista];

ARN [Associação Regional de Natação] – Hortolândia – Bronze 50 metros livres [prova mista];

ARN [Associação Regional de Natação] – Paulínia – Bronze 50 metros livres [prova mista];

Jogos Regionais de Itatiba – Ouro 50 metros livres;

Jogos Regionais de Itatiba – Ouro 50 metros costas;

Jogos Regionais de Itatiba – Ouro 100 metros livres;

Maratona Aquática – Etapa Caconde – Prata 1.000 metros livres.
2014

ARN [Associação Regional de Natação] – Bragança Paulista – Ouro 50 metros livres;

MEG [Maratona Esportiva Guaçuana] – Ouro 25 metros livres;

Maratona Aquática – Etapa Ilha Bela – Prata 1000 metros livres;

Maratona Aquática – Etapa São Bernardo – Ouro 1.000 metros livres;

Maratona Aquática – Etapa São Sebastião – Ouro 1.000 metros livres;

Maratona Aquática – Etapa Rifaina – Prata 1000 metros livres;

Maratona Aquática – II Etapa São Sebastião – Ouro 1.000 metros;

Circuito Caixa de Natação – Prata 200 metros livres;

Circuito Caixa de Natação – Bronze 50 metros costa;

Circuito Caixa de Natação – Bronze 100 metros livres;

Maratona Aquática Rei e Rainha do Mar – Rio de Janeiro – Campeão 1.000 metros livres;

Jogos Regionais de Itatiba– Ouro 50 metros livres;

Jogos Regionais de Itatiba – Ouro 100 metros livres;

Jogos Regionais de Itatiba – Ouro 200 metros livres;

Aberto de Natação São Paulo da Federação de Desportos para Cegos – Ouro 50 metros livres;

Circuito Caixa de Natação – Etapa Nacional de São Paulo – Bronze nos 200 metros livre com índice para Etapa Nacional;

Circuito Caixa de Natação – Etapa Nacional Fortaleza – Bronze nos 200 metros livres;

Maratona Aquática Rei e Rainha do Mar – Rio de Janeiro – Bronze 1000 metros livres;

Maratona Aquática Fuga das Ilhas – São Sebastião – Ouro 1500 metros livres.
2015

Circuito Caixa Open Internacional – 4° colocado;

Jogos Regionais Mococa – Ouro 50 metros borboleta;

Jogos Regionais Mococa – Ouro 50 metros livres;

Jogos Regionais Mococa – Ouro 100 metros livres;

Circuito Caixa de Natação – 1ª Etapa Nacional – Ouro 100 metros livres;

Circuito Caixa de Natação – 1ª Etapa Nacional – Ouro 200 metros livres;

Circuito Caixa de Natação – 1ª Etapa Nacional – Bronze 50 metros livres;

Torneio de Natação Associação dos Cegos de Campinas – Centro Olímpico – Ouro 50 metros livres;

Torneio de Natação Associação dos Cegos de Campinas – Centro Olímpico – Ouro 100 metros livres;

Torneio de Natação Associação dos Cegos de Campinas – Centro Olímpico – Bronze 100 metros peito;

Circuito Caixa de Natação – 2ª Etapa Nacional – Prata 100 metros livres;

Circuito Caixa de Natação – 2ª Etapa Nacional – Prata 200 metros livres;

Maratona Aquática Rei e Rainha do Mar – Rio de Janeiro – Bronze 2.000 metros livres;

Circuito Netuno de Travessias – São Vicente – 1ª Etapa – Ouro 750 metros livres;

Circuito Netuno de Travessias – São Vicente – 4ª Etapa – Ouro 750 metros livres;

Circuito Caixa de Natação – 3° Etapa Nacional – Ouro 200 metros livres;

Circuito Caixa de Natação – 3° Etapa Nacional – Ouro 100 metros livres.
2016

Circuito Caixa de Natação – Fase Regional – Ouro 200 metros livres;

Circuito Caixa de Natação – Fase Regional – Ouro 100 metros livres;

Circuito Caixa de Natação – Fase Regional – Ouro 200 metros medley

Circuito Caixa de Natação – Fase Regional – Prata 50 metros borboleta;

Circuito Caixa de Natação – Fase Regional – Bronze 50 metros livres;

Circuito Caixa de Natação – Fase Regional – Bronze 50 metros costas;

Circuito Caixa de Natação – Fase Regional – Bronze 100 metros peito;

Maratonas Aquáticas Rei e Rainha de Mar – 2° lugar 1.000 metros;

Maratonas Aquáticas Rei e Rainha do Mar – 2° lugar 2.000 metros;

Jogos Regionais de Limeira – 1° lugar 200 metros livres;

Jogos Regionais de Limeira – 1° lugar 100 metros livres;

Jogos Regionais de Limeira – 1° lugar 50 metros livres;

Jogos Abertos do Interior – São Caetano – 1° lugar 200 metros livres;

Jogos Abertos do Interior – São Caetano – 1° lugar 100 metros livres;

Jogos Abertos do Interior – São Caetano – 1° lugar 50 metros livres;

Maratonas Aquáticas Aquaman 2016 – 1° lugar 1.000 metros.

2017

Circuito Caixa de Natação – Fase Regional – Prata 200 metros livres;

Circuito Caixa de Natação – Fase Regional – Bronze 50 metros livres;

Circuito Caixa de Natação – Fase Regional – Bronze 100 metros livres.

Sobre Flávio Ribeiro

Graduado em Comunicação Social - Jornalismo pela Pucc - Campinas. Editor-Chefe e Repórter da Revista O Pólo - Agência ODBO, é o responsável pela checagem e produção das reportagens e artigos e, também, da edição final da revista. Exerceu a função de Assessor de Imprensa de Gestão Pública e trabalhou em meios de comunicação como o Jornal Gazeta Guaçuana, Jornal Cidade e estagiou na EPTV Campinas.

Confira Também

Os irmãos Adriana e Eduardo Massucci

Odontologia

A evolução tecnológica trouxe para o Odontologia uma grande melhora, no sentido de os tratamentos ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *