Sexta-feira , 20 Outubro 2017
Últimas Publicações
Home / Mercado / Emprego: como estruturar o seu CV e comportar-se no momento da entrevista

Emprego: como estruturar o seu CV e comportar-se no momento da entrevista

Foto: Otávio Bueno

entrevista de emprego é a ocasião em que o selecionador tem para conhecer os candidatos às suas vagas em aberto. É neste momento que são confirmados todos os dados expostos no currículo e obtidos detalhes do perfil e da experiência dos interessados para os cargos disponíveis.

A ERS Recursos Humanos, empresa localizada em Mogi Guaçu, é especializada no processo de recrutamento e seleção para diferentes níveis de cargos, palestras, treinamentos e desenvolvimento de pessoas, avaliações e orientações comportamentais em diversos aspectos.

“Ela tem um perfil humanizado de trabalho e busca contribuir com projetos sociais como a realização de palestras gratuitas para promoção de saúde, bem-estar e em comunidades carentes, além de participação em ONG’s [Organizações não Governamentais] ajudando crianças e idosos”, explica a fundadora da empresa Edmara Regiane da Silva, 30.

A jovem empreendedora é Graduada em Psicologia, Pós-Graduada em MBA de Gestão Empresarial com Ênfase em Pessoas, tem formação em PNL [Programação Neurolinguística] e é Coach Profissional com reconhecimento internacional em Entrevista por Competência, Liderança Interpessoal e Programa de Felicidade.

Desde 2005, a psicóloga atua na área de Gestão de Pessoas e Recursos Humanos, realizando processos de recrutamento e seleção para vários níveis de cargos.

Edmara Regiane da Silva concedeu entrevista para O Pólo e explica como estruturar um CV [Curriculum Vitae] correto e portar-se no momento da entrevista. Confira tudo.

Explique sobre o trabalho que você realiza.

Ministro palestras e minicursos com temas comportamentais, afim de, contribuir para o desenvolvimento pessoal e profissional. Atualmente, tenho realizado palestras direcionadas à motivação, liderança, ansiedade, administração do tempo, programação Neurolinguística, promoção de bem-estar, para professores e o comportamento dos alunos em sala de aula. Também de atendimento ao cliente, produtividade, como elaborar um currículo e portar-se em uma entrevista, técnicas de seleção, entre outras que podem ser estruturadas conforme a necessidade do cliente.

Mediante a crise financeira do país como está o processo de vagas abertas?

Diante da crise econômica e política do Brasil, o número de abertura de novas vagas diminuiu, porque a maioria das empresas está reduzindo o quadro de colaboradores.

As vagas que estão surgindo costumam ser em sua maioria de substituição, pois muitas empresas aproveitam a oportunidade para buscar no mercado pessoas com maior qualificação e desempenho que estejam disponíveis pelo desemprego. Essas empresas acreditam que há muitos profissionais neste momento e optam em desligar colaboradores problemáticos e que não apresentam resultados, para dar uma chance de recolocação para outros mais talentosos.

Quando melhora essa situação para a abertura de mais vagas de trabalhos?

No quadro atual em que nos encontramos, é um pouco difícil afirmar quando iremos obter melhora na situação do desemprego. Existem estudos econômicos sendo realizados, porém, as estimativas apresentadas não estão otimistas. Uns mostram que o Brasil poderá passar pela maior crise em comparação com anos anteriores, pois tudo dependerá de como nosso país irá restabelecer a ordem governamental e financeira.

A previsão é que a crise estenda-se até o próximo ano, apresentando melhora tímida, ou seja, uma melhora não significativas Levando-se em consideração alguns estudos apresentados, acredito que a partir de 2018 poderemos visualizar mais oportunidades no mercado de trabalho.

Atualmente, como um profissional deve montar o seu CV?

Há diferentes formatos de estruturação de currículos, porém, é de extrema importância que as informações sejam expostas de forma clara, objetiva e com contexto formal evitando fotos inadequadas, com ortografia correta e com subtítulos em destaque que facilitam a análise dos mesmos pelos recrutadores, como por exemplo:

Nome completo em destaque no início do currículo e colocar Dados Pessoais como: data de nascimento, endereço, números de telefones para contato e e-mail, observações caso tenha disponibilidade para viagens, estado civil, se possui filhos e carteira de habilitação;

– Colocar grau de Escolaridade/ Formação, se está estudando ou se já concluiu o curso, qual instituição de ensino ou previsão de conclusão. Cabe neste item colocar se cursou ensino fundamental, médio, curso técnico, superior e especializações;

– Incluir Cursos Complementares: informática, idiomas, autocad, operador de empilhadeira, desenho técnico, secretariado, atendimento ao cliente, entre outros;

– Discorrer sobre as Experiências Profissionais expondo as empresas em que trabalhou, data de entrada e saída, cargo que exercia e breve relato das atividades. Além das atividades formais e registradas em carteira de trabalho, o candidato pode relatar experiências informais de autônomo e sem registro e trabalhos voluntários que realiza.

Evite colocar frases prontas no currículo relacionado à parte comportamental, pois este quesito os recrutadores avaliarão na entrevista.

Como um candidato deve comportar-se durante uma entrevista?

Esta questão é bastante ampla, pois para cada cargo e função há exigências distintas de competências. Porém, há algumas regras básicas que não podemos fugir e que auxiliam a ter uma pontuação maior na avaliação como:

– Procure chegar no horário agendado;

– Não mentir e tentar enganar o entrevistador;

– Procure conhecer a empresa e seus produtos antes da entrevista;

– Não esquecer-se de levar os documentos solicitados;

– Procurar vestir-se de acordo com a cultura da empresa, por isso, é importante conhecer a empresa e buscar roupas mais formais;

– Manter higiene básica para evitar situações desagradáveis com o selecionador;

– Controlar as emoções antes, durante e após a entrevista;

– Cumprimentar as pessoas, ser cordial e otimista;

– Demonstrar interesse em entusiasmo pela vaga;

– Evitar muita intimidade com o selecionador;

– Ficar atento na postura, na forma de sentar-se e de expor-se;

– Ser você mesmo e confie em seu potencial;

– Evitar respostas prontas ‘clichês’ e previsíveis;

– Ter autoconhecimento para responder as questões com facilidade;

– Apresentar boa comunicação, evitar ser redundante e expor apenas o que é necessário;

– Mostrar ao avaliador seus potenciais, dando exemplos concretos de situações vivenciadas, indicando comprovações do desenvolvimento e reconhecer os pontos que precisa desenvolver para que possa sempre se aprimorar.

A postura pessoal influencia na decisão da escolha pelo RH?

Sim, a postura influencia bastante na escolha dos candidatos, pois não basta ter apenas os conhecimentos técnicos para o cargo. Hoje em dia, buscamos pessoas com conhecimento técnico, porém, com comportamento adequado para a adaptação à cultura da organização.

Há alguns comportamentos padrões que são esperados, entre eles: não ser preguiçoso, sentar-se de forma adequada, vestir-se de maneira apropriada para a entrevista de trabalho, tomar iniciativa e resolver problemas, ser ágil, não gritar, não fazer brincadeiras inapropriadas, não zombar das pessoas, não discutir, apresentar equilíbrio emocional para lidar em determinadas situações, ter comprometimento, focar nas atividades que está realizando, não reclamar, ter bom relacionamento interpessoal.

E a roupa e/ou traje como deve ser para uma entrevista?

O traje é variável de acordo com o cargo que irá concorrer. Por exemplo: caso o candidato for participar de um processo seletivo para Advogado, o mesmo terá que ir com roupa formal como: gravata, terno, camisa e sapato social.

Caso o candidato for participar para Auxiliar de Produção não há obrigatoriedade do mesmo vestir-se igual a um advogado. Basta uma calça jeans, camisa e/ou camiseta e sapato fechado.

Sugerimos que os candidatos evitem: regatas, minissaias, sapatos abertos, saltos altos, bermudas, roupas decotadas, bonés e evitar brincos e piercings.

Estas sugestões pautam-se em orientações de segurança e bom senso que são seguidos por empresas as quais não permitem a entrada de pessoas com determinados trajes e acessórios. A dica é conhecer a cultura da empresa para averiguar o traje mais adequado com a realidade da mesma.

Antes da entrevista você avalia o perfil técnico durante a triagem do currículo?

Com certeza. Verifico se o candidato possui os cursos e as experiências desejadas pela empresa e passando por este filtro agendo a entrevista, na qual examino a postura e o comportamento por meio de técnicas de avaliação por competências, análise comportamental visual, testes psicológicos ou dinâmicas em grupo, de acordo com o número de candidatos participantes.

Dê um exemplo de entrevista no qual o candidato saiu-se muito bem.

Exemplificarei com um processo seletivo para Auxiliar de Produção, onde o candidato apresentou-se de forma adequada e conquistou a vaga. O mesmo apresentou-se para a entrevista com muita simpatia, confiança em si e bom humor, além de apresentar trajes simples e adequados para uma entrevista como: tênis, camisa pólo e calça jeans.

O candidato mostrou boa higiene, com cabelos cortados, barba feita, unhas limpas e boa imagem pessoal. Entregou-me todos os documentos solicitados para entrevista de forma organizada e, assim, iniciamos a entrevista.

Para este cargo era exigido como fator técnico que os candidatos tivessem ensino médio completo e cursos complementares do Senai [Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial] ou formações extracurriculares que agregassem à função, além de experiência de no mínimo seis meses na função de Auxiliar de Produção e, também, foram exigidas competências comportamentais como: iniciativa, organização, agilidade, boa comunicação, bom trabalho em equipe, transmitir confiança e responsabilidade, comprometimento, respeito a hierarquia, flexibilidade, bons princípios e valores.

Neste exemplo, o candidato respondeu as questões de forma objetiva e clara?

Sim. Indicou domínio e sinceridade no que estava informando, transmitindo confiança. Além disso, apresentou exemplos do dia a dia os quais comprovavam que ele possuía tais competências exigidas. Mostrou-se comprometido com o trabalho, pois costumava realizar horas extras quando necessário, não faltava e era pontual com suas atividades. Demonstrou ter iniciativa e colocava suas sugestões para a melhoria de processos na produção, não apresentou conflitos com os colegas de trabalho e líderes, teve flexibilidade para adaptar-se as mudanças da rotina e de tarefas dentro das organizações que trabalhou.

Denotou respeito pelo próximo e perfil de cooperação com as pessoas que estão ao seu redor e com a empresa. O mesmo apresentou o histórico profissional estável pois permaneceu em uma empresa por cinco anos como Auxiliar de Produção, só saindo de lá devido a uma crise a empresa em questão passou.

Além da formação técnica e da experiência que possuía o diferencial deste candidato para ser contratado foi a sua postura e o comportamento apresentado.

Fique a vontade para comentar quaisquer detalhes.

Gostaria de disponibilizar meus contatos junto com a entrevista:

contato@ersrecursoshumanos.com.br;

www.ersrecursoshumanos.com.br;

Telefone e Whatsapp: (19) 998234147;

Página Facebook ERS Recursos Humanos.

Considerações Finais.

Apesar dos problemas políticos e econômicos, acredito que momentos de crise nos ensinam a buscar novas estratégias para a adaptação e, muitas vezes, é nesta época que encontramos excelentes oportunidades.

Não podemos deixar de correr atrás dos nossos objetivos e buscar continuamente o aprimoramento de competências técnicas e comportamentais por meio dos recursos que nos são disponibilizados, sejam eles gratuitos ou pagos, para quando a oportunidade surgir estarmos preparados para conquistar a recolocação no mercado de trabalho.

Hoje em dia percebo que as pessoas não dão muita importância para o desenvolvimento pessoal e de competências comportamentais, que refletem no dia a dia das pessoas de forma limitante, pois como citei anteriormente os fatores comportamentais costumam ser um diferencial para conquistar o sucesso pessoal e profissional, e contar com o auxílio de palestras e treinamentos comportamentais, psicólogos e coaches pode ser uma  alternativa para aumentar as chances da conquista dos seus maiores sonhos.

Sobre Flávio Ribeiro

Graduado em Comunicação Social - Jornalismo pela Pucc - Campinas. Editor-Chefe e Repórter da Revista O Pólo - Agência ODBO, é o responsável pela checagem e produção das reportagens e artigos e, também, da edição final da revista. Exerceu a função de Assessor de Imprensa de Gestão Pública e trabalhou em meios de comunicação como o Jornal Gazeta Guaçuana, Jornal Cidade e estagiou na EPTV Campinas.

Confira Também

Foto: Otávio Bueno

Apae necessita de ajuda urgente para repor alimentação de alunos

A Apae [Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais] – Mogi Guaçu, que atende 280 ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *