Domingo , 19 Novembro 2017
Últimas Publicações
Home / Coluna da Fabi / Exercitar é preciso!

Exercitar é preciso!

Ainda estamos em outubro e, por isso, mantenho o câncer como tema central dessa coluna. Escrevo hoje sobre a importância da prática de atividade física durante o tratamento.

Antigamente, acreditava-se que uma pessoa em tratamento deveria se manter em repouso. Hoje, já está claro que praticar atividade física nessa fase traz inúmeros benefícios. O exercício melhora o funcionamento do corpo, diminui a sensação de fadiga causada pela quimioterapia, diminui a ansiedade e aumenta a autoestima.

Podemos ressaltar também que a atividade física ajuda a manter a composição corporal adequada, a diminuir a perda de massa muscular e a manter o coração funcionando bem.

Além disso, exercitar-se torna o paciente independente para suas atividades cotidianas, diminui as náuseas, melhora o humor e o relacionamento social, evita a fadiga, ajuda a controlar o peso e melhora a qualidade de vida.

Lembre-se que o programa de exercício deve ser seguro, eficaz e agradável para o paciente. É importante que o professor conheça o histórico de atividade física do paciente antes da doença e, também, respeite o limite do mesmo nessa fase. Algumas precauções são essenciais para que a atividade seja segura, sendo elas:

  • Certificar que os níveis sanguíneos estejam adequados;
  • Não exercitar-se com anemia;
  • Se o paciente apresentar muito cansaço diminuir o tempo de exercício;
  • Evitar esportes aquáticos quando o paciente utilizar cateter e, principalmente, avisar o médico caso ocorra qualquer anormalidade como perda ou ganho de peso, tonturas, náuseas e falta de ar;

Não existe uma rotina de exercícios pré-estabelecida para quem está em tratamento. A rotina depende de cada paciente. O importante é manter a resistência, a força muscular e a flexibilidade para que consiga continuar sua rotina.

Se por qualquer motivo a atividade física for interrompida, é importante se manter ativo, pois 70% dos pacientes apresentam fadiga durante o tratamento e esse tipo de cansaço não melhora com repouso.

Pensando nisso, sugiro algumas dicas para melhorar o interesse pelos exercícios:

  • definas metas;
  • concentre-se em se divertir;
  • anote seus progressos, reconheça suas realizações;
  • dê uma volta pelo bairro;
  • corte a grama ou varra o quintal;
  • brinque com crianças;
  • passeie com o cachorro;
  • faça exercícios enquanto assiste TV;
  • dispense o carro em pequenos trajetos;

Em um momento tão delicado da vida, tentar manter-se ativo e realizando suas tarefas diárias é muito importante para o paciente. É claro que um pouco de mimo e carinho dos que estão a sua volta também contam.

Passar por um tratamento tão delicado não é fácil, mas com ajuda de amigos e familiares tudo pode ficar mais leve, menos dolorido e mais cor de rosa.

Um beijo e até semana que vem.

Sobre Fabi Matos

Fabiana Nunes de Matos Bueno é graduada em Educação Física e trabalha como personal trainner ministrando aulas de pilates e funcional em seu estúdio.

Confira Também

atividades_fisicas_mediz

Como sobreviver sem exagerar

O outono começou e chegou cheio de feriados. E além de serem bons momentos para ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *