GeralSaúdeVariedades

Fazer sorrir é o maior barato

Thiago Evangelista é Cirurgião Dentista, Mestre em Implantodontia, Professor de Cursos de Especialização por todo o Brasil e Doutorando-se pela Unicamp [Universidade Estadual de Campinas]

Durante meus quase 20 anos de Odontologia sendo 15 deles dedicados na área de implantes dentários, ate hoje me deparo com dúvidas e receios que nossos pacientes nos trazem a respeito da previsibilidade do procedimento, como: vai doer, quanto tempo dura um implante, existe risco de rejeição, é um procedimento caro?

Nós como cirurgiões temos a obrigação de passar todas informações necessárias aos nossos pacientes para que nenhum tipo de dúvida durante o tratamento ocorra, transformando assim, todo o processo desde a primeira visita ao consultório até a finalização do mesmo num procedimento mais humanizado, levando em conta que nosso paciente não é apenas uma boca e, sim alguém, que nos procura com um problema não apenas estético, mas, muitas vezes nutricional pois a perda dos elementos dentários nos leva a uma má mastigação, seguida de uma má digestão levando a não absorção dos nutrientes presentes nos alimentos.

Em muitos casos os pacientes chegam na clínica apresentando falta de peso devido a dificuldade de mastigação devido à ausência de dentes ou mesmo o desconforto das próteses removíveis na boca. Destaco que os implantes dentários foram criados há mais de 60 anos para restabelecer a arcada dentária dos nossos pacientes devolvendo a eles uma função mastigatória mais eficaz e com certeza um sorriso agradável e natural no fim do tratamento.

Hoje trabalhamos com 98% de sucesso no tratamento de implantes dentários, sendo este, um tratamento considerado de sucesso. Já os 2% de insucesso, nós podemos associar a alguma doença sistêmica que o paciente posse apresentar de hábitos nocivos como cigarro, pacientes com bruxismo, má higienização, entre outros. Mesmo assim, esses pacientes não são contra indicados aos implantes. Eles apenas deverão ter um acompanhamento diferenciado para a sobrevida desses implantes.

Também devemos citar que o procedimento cirúrgico é todo feito no consultório com utilização de anestesia local, mantendo o paciente consciente durante todo o momento do procedimento. Essa intervenção é quase indolor e são administrados com medicamentos preventivos como anti-inflamatório, antibióticos e analgésicos antes do procedimento.

Outra dúvida frequente é se o tratamento é demorado. E a resposta é que todo tratamento é individualizado e cada um tem seu tempo determinado pelo cirurgião dentista devido ao tempo de cicatrização de cada caso.

Por exemplo: em casos que o paciente perdeu os dentes há muito tempo, dependendo da quantidade óssea que ele apresenta, necessitamos realizar um ganho de osso naquela região para posteriormente instalarmos os implantes naquele local. Esses procedimentos necessitam de um período de cicatrização ao qual dependendo do tipo de biomaterial ósseo a ser utilizado, cada um tem um tempo de cicatrização recomendado.

Hoje em dia contamos com várias técnicas de reconstrução óssea e o paciente deve estar a par de qual tipo de material o cirurgião dentista irá realizar naquele momento, levando em conta suas vantagens, custo, qualidade e riscos. Já o tipo de material a ser utilizado e o domínio da técnica a ser aplicada vai depender do conhecimento do cirurgião dentista.

Como eu disse, no mercado existem vários substitutos ósseos a serem utilizado, porém, o melhor material a ser utilizado sem dúvida ainda é o osso do próprio paciente dependendo apenas do domínio da técnica pelo profissional para realizar a remoção desse osso, normalmente, dentro da região bucal e a implantação desse osso na área a ser reconstruída.

Existem também no mercado substitutos ósseos desde materiais de origem bovina, sintéticos, entre outros, cabendo ao cirurgião conhecer a indicação ideal de cada material. Em muitos casos, durante esses períodos de cicatrização os pacientes deverão utilizar algum elemento provisório até a chegada do momento da confecção dos elementos definitivos, geralmente, confeccionado em porcelana.

“Os implantes dentários vieram para devolver aos pacientes,
o conforto e a sensação de terem seus dentes de volta”

Porém, diversos procedimentos de implantes podem ser finalizados em dias, onde em muitos casos é feita a instalação dos implantes e, imediatamente, a confecção dos dentes, levando o paciente a chamada ‘carga imediata’ desses implantes, sem a necessidade do período de espera e sem a utilização de próteses removíveis provisórias durante o processo de cicatrização. Como eu já disse: cada caso é um caso a ser planejado individualmente.

Em relação a idade mínima e máxima para a realização de instalação de implantes, devemos avaliar o crescimento ósseo do paciente, que normalmente finaliza na idade entre 16 a 18 anos, onde esse paciente já esta apto a receber implantes.

A idade máxima depende da saúde do paciente. Em minha clínica já realizamos procedimentos de implante em pacientes beirado os 90 anos, sendo que tudo depende da saúde geral do nosso paciente.

Devo ressaltar ainda a importância da fidelidade do cirurgião dentista com o paciente que recebeu os implantes, pois, todo implante deve passar por manutenções periódicas de no mínimo  de 6 em 6 meses para avaliarmos a saúde desses implantes. Os pacientes devem tomar cuidado com as chamadas clínicas itinerantes que se instalam nas cidades, oferecendo tratamentos ‘milagrosos’ e em muitos casos com valores abaixo do mercado visando apenas lucro em cima de grandes volumes de venda desses tratamentos.

Geralmente nestas clínicas itinerantes são contratados cirurgiões iniciantes de outras cidades para que realizem a execução desses procedimentos e após um determinado período se mudam para outra cidade deixando os pacientes sem opção de suporte, pois, esses pacientes não conseguem que outros dentistas assumam a manutenção desses implantes por não saberem qual modelo de implante foi utilizado e qual técnica foi aplicada.

Sem dúvida nenhuma os implantes dentários vieram para devolver aos pacientes o conforto e a sensação de terem seus dentes de volta para a função mastigatória com segurança durante a mastigação, uma melhora estética devolvendo o volume bucal e labial, aumentando a auto-estima muitas vezes subtraída devido à perda dos elementos dentários.

Porém, devo frisar que muitas vezes, os pacientes são levados pela promessa de procedimentos chamados ‘milagrosos’ e com valores mais em conta onde são utilizados materiais de baixa qualidade levando o paciente ao insucesso do tratamento, tendo assim, que refazê-lo do início, tornando o tratamento muito mais traumático, penoso e, financeiramente, mais caro ao paciente.

Clínica Odontall
Rua Antônio Emanoel Miachon, 66
Bairro do Lote – Mogi Guaçu – SP
(19) 3841.8992

Tags
Mostrar mais

Flávio Ribeiro

Graduado em Comunicação Social - Jornalismo pela Pucc - Campinas. Editor-Chefe e Repórter da Revista O Pólo - Agência ODBO, é o responsável pela checagem e produção das reportagens e artigos e, também, da edição final da revista. Exerceu a função de Assessor de Imprensa de Gestão Pública e trabalhou em meios de comunicação como o Jornal Gazeta Guaçuana, Jornal Cidade e estagiou na EPTV Campinas.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close