Terça-feira , 12 Dezembro 2017
Últimas Publicações
Home / Coluna da Fabi / Hipertensão: um controle necessário

Hipertensão: um controle necessário

Ela é uma doença silenciosa que atinge parte da população brasileira. Para ser mais exata, estima-se que 25% dos brasileiros sofrem desse mal. A SBC [Sociedade Brasileira de Cardiologia] aponta que a prevalência da doença é entre 22% a 44% nos adultos.

Na faixa etária entre 60 e 69 anos estima-se que a doença atinge cerca de 50% das pessoas. E com o aumento da idade, aumenta também a porcentagem de pessoas afetadas. Estudos indicam que 75% das pessoas com mais de 70 anos sofrem desse mal.

Hoje, escrevo sobre hipertensão.

A SBC entende por hipertensão ou pressão alta, quando a pressão arterial de um indivíduo fica sistematicamente igual ou maior que 14 por 9. A pressão se eleva principalmente devida contração nos vasos nos quais o sangue circula.

Para entender melhor, vamos pensar em uma torneira aberta ligada a vários esguichos. Se fecharmos a ponta do esguicho a pressão lá dentro aumenta. É isso que acontece com os vasos sanguíneos. Se eles são estreitos a pressão sobe.

As causas deste mal podem ser de origem primária ou secundária. Vou explicar melhor. É considerada primária quando não se sabe a origem da causa. Podendo ser relacionada ao estilo de vida e fatores de risco. Por exemplo: hereditariedade, abuso de sal, alimentação não saudável, obesidade, entre outras coisas. Essa é a causa mais comum de da hipertensão.

Já a secundária está ligada a causas identificadas, como doenças renais, gravidez, uso de algum medicamento, entre outras.

É preciso saber que a hipertensão não tem cura. Mas várias consequências podem ser evitadas quando a doença passa a ser controlada. A pressão alta é o principal fator de risco relacionado a outras doenças. Ela é responsável por 40% dos infartos do miocárdio, 80% dos AVC [Acidente Vascular Cerebral] e 25% dos casos de insuficiência renal terminal. Esses problemas podem ser evitados quando o hipertenso conhece suas condições e mantém um tratamento preventivo.

Um estilo de vida mais saudável alinhado ao tratamento prescrito pelo cardiologista é fundamental para controlar a doença. Mas não estamos falando apenas da qualidade alimentar e do controle do estresse.

É claro que esses fatores são muito importantes, mas é preciso equilibrar mais coisas dentro dessa balança. Perder peso, parar de fumar e praticar exercício físico contribui e muito para o controle da pressão arterial.

Como sempre, praticar atividade física traz inúmeros benefícios e ajuda a combater muitas doenças. No caso da hipertensão, um treino dosado e bem orientado combate a obesidade e melhora todo metabolismo. Além disso, por trabalhar grandes grupos musculares diminui a resistência dos vasos à passagem de sangue e, consequentemente, diminui a pressão arterial.

Estudos revelam que, apenas 1/3 dos pacientes sabem que são hipertensos. E, destes, apenas 1/3 faz o controle necessário. Por isso, é fundamental manter seus exames em dia e melhorar seu estilo de vida.

Se bem tratada a hipertensão não atrapalhará em nada sua rotina.

Fique de olho e procure um especialista.

Boa semana e até a próxima coluna em 24 de abril.

Sobre Fabi Matos

Fabiana Nunes de Matos Bueno é graduada em Educação Física e trabalha como personal trainner ministrando aulas de pilates e funcional em seu estúdio.

Confira Também

Solange Chiorato escolheu a área clínica para ter contato direto com as pessoas

Nutrição, ferramenta salutar da vida

Ainda hoje há uma grande parte da população que busca orientação nutricional voltada mais para ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *