Mercado

Mercado gourmet de doces está em alta

Empresária mogimiriana investiu no período e lucrou

Como dica para pessoas ‘compulsivas’ e ‘viciadas’ em doces, é melhor não começar a leitura deste texto, pois, confeccionando bolos, docinhos, docinhos finos, pão de mel, trufas tortas, balas de coco pirulitos de chocolates e ovos de páscoa, a empresária Flávia Nicotra da Silva, 28, atingiu uma rentabilidade de 50% no primeiro semestre de 2016.

“Desde pequena ajudava minha mãe a cozinhar, peguei gosto e me dediquei à confeitaria e a ideia de ser minha própria chefe”,  explica a paixão pela gastronomia.

Montou a empresa Flávia Doces e Bolos e, ainda, ministra aulas em cursos profissionalizantes e presta consultoria para estabelecimentos comerciais.

Formada em Gastronomia pela Universidade Metodista de São Paulo, a visionária mogimiriana quase desistiu de investir em uma época propícia para as guloseimas, devido à crise econômica do Brasil.

“Na última Páscoa, fiquei com medo de investir em material, mas arrisquei. Foi a melhor a coisa que fiz, tanto que, foi a melhor Páscoa de todos os anos”, diz.

Há 9 anos no ramo, Flávia Nicotra alcançou o sucesso. Mas como em toda história de êxito profissional tem seus percalços, a dela não poderia ser diferente.

“Quando me formei, trabalhei como confeiteiro por alguns anos em um supermercado. Depois trabalhei em distribuidoras de alimentos, fazendo demonstração técnica até ingressar na indústria de alimentos realizando venda técnica e conciliando tudo como confeiteira em uma padaria”, conta.

_MG_0965Com a Flavia Doces e Bolos tem ultrapassado a crise sempre visando um diferencial e usando produtos de alta qualidade, como por exemplo, o brigadeiro gourmet tradicional com confeito belga, brigadeiro gourmet de azeite com gergelim e brigadeiro de churros. Junte a tudo isso, bolo naked cake brigadeiro de morango e brigadeiro branco decorado com frutas.

De acordo com a empresária, é um mercado rentável que propicia excelentes oportunidades, permitindo atender diferentes públicos como casamentos, aniversários e eventos empresariais e institucionais.

“É um ramo lucrativo e acredito que seja por um bom tempo. Alimentação em geral é lucrativa. Hoje em dia, as pessoas não têm mais tempo para fazer. Sempre tem um aniversário de criança, adulto, idoso ou bebê. Um bolinho nunca pode faltar. Então, a demanda acaba sendo grande”.

A quantidade produzida varia mês a mês. “Tem mês que é super corrido e tem mês que é mais tranquilo. Não tenho um publico especifico, mas meus clientes são na maior parte do famoso marketing ‘boca a boca”.

Os produtos são entregues somente por encomendas. “Tem semanas que faço itens a pronta entrega e divulgo no Facebook”, dá a dica empresarial.

E, que fique o exemplo de empreendedorismo e meta profissional.

“Comecei vendendo trufa na escola e na rua. Depois vendia na faculdade. Há 13 anos que faço ovos no período da Páscoa, e a cada ano que passa as vendas só crescem. Falo que algumas realizações que tive, foi com ‘dinheiro de chocolate’. Alguns anos atrás guardando os lucros da Páscoa, pude fazer a minha tão sonhada viagem para a Europa. Também fiz um cruzeiro na faculdade com o dinheiro das trufas que vendia.  Sou eternamente grata pela confeitaria. É minha paixão e não me vejo fazendo outra coisa”.

Tags
Mostrar mais

Flávio Ribeiro

Graduado em Comunicação Social - Jornalismo pela Pucc - Campinas. Editor-Chefe e Repórter da Revista O Pólo - Agência ODBO, é o responsável pela checagem e produção das reportagens e artigos e, também, da edição final da revista. Exerceu a função de Assessor de Imprensa de Gestão Pública e trabalhou em meios de comunicação como o Jornal Gazeta Guaçuana, Jornal Cidade e estagiou na EPTV Campinas.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Close
Close