Colunistas

Por que menos é mais?

Menos coisas, menos gente, menos situações que nos incomodam.

Vivendo o menos na vida, abriremos mais espaço para o que realmente queremos.

Mais dinheiro? Menos gastos.

Mais calma? Menos situações estressantes.

Mais respeito? Menos preconceito.

Tenho tentado aplicar esse minimalismo em minha vida. Um minimalismo não radical. Porque radicalismo gera estresse e preconceito. E aí, estão coisas que também quero tirar da minha vida.

Quero tirar o peso de tudo o que me faz mal.

O excesso pesa. Assim como o excesso material pesa, situações desconfortáveis conseguem ser mais pesadas ainda!

Então, para que viver o que não se quer viver? (Por que demorei tanto para perceber isso?)

Tão bom dizer não, eliminar.

Tão bom estar leve.

Acredito que aprendi isso quando eu passei a me amar acima de qualquer coisa.

Eu achava que me amava. Mas hoje sei o que realmente é ser amada por mim! Não deixo que nada me abale ou pelo menos tento.

Não me permito mais viver o que não quero, na companhia de quem não quero também.

Quando essa situação é obrigatória, faço o necessário sem exigir demais de mim.

Não é uma sinceridade que agride. É uma sinceridade que me permite ser educada e me permite decidir sem ofender.

Não quero me fechar para o mundo e muito menos para as pessoas. Quero fazer bem para mim.

Por muito tempo tentei fazer primeiro o bem para o outro.

Hoje não! Eu ocupo o primeiro lugar em minha vida. Ponto.

Engraçado como tudo é um ciclo. Larguei muito quando me mudei pra cá. Desprendi-me tanto de coisas e outras coisas mais que me incomodavam, que parei de tingir os cabelos, porque me vi além de tudo, o que envolvia esse processo de tingí-los.

Depois, comecei a eliminar muito do que não fazia bem para minha saúde física. E, agora, cada vez mais, tento eliminar o que não faz bem para minha saúde mental.

De todo esse menos, eu quero é mais!

Mais amor próprio, mais confiança, mais saúde, mais tempo, mais paz.

E quero muito mais daquilo que não excede.

Tags
Mostrar mais

Rubia Wakizaka

Rúbia Mara Andrade Felisberto Wakizaka é guaçuana e há três anos mora em Lake Mary [Flórida]. É casada com o empreendedor Fabio Wakizaka e mãe de dois filhos, Ichiro e Kenzo. Fala inglês fluente, é artesã e culinarista. Nos Estados Unidos, trabalha na área digital como bloguer e youtuber, trazendo experiências do setor de craft, abrangendo técnicas de costura, bordado e crochê, por meio do seu canal ‘Faça-Você-Mesmo’.

Artigos relacionados

1 thought on “Por que menos é mais?”

  1. Oi,Rubita!
    Se amar!
    Quando nos colocamos em primeiro lugar,tudo na vida flui melhor.
    Não é egoísmo,é amor próprio.
    De que adianta ser boazinha para as pessoas se não sou para mim.
    Rúbia,adorei sua matéria!
    Nota 1000 para você!
    Te amo filha!
    Sempre te seguindo!
    Bjs1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Verifique também

Close
Close