Geral

Rubens Tanaka é vice-campeão Brasileiro de Fisiculturismo

Atleta que reside em Mogi Mirim começou na modalidade quando morava no Japão

Rubens Tanaka, 42, conquistou o título de vice-campeão Brasileiro de Fisiculturismo de 2018 pela categoria Clássico Master, no sábado, 28 de julho, em competição realizada na cidade de Ribeirão Preto. O atleta representou o estado de São Paulo no evento que foi realizado durante três dias, reunindo 600 atletas que disputaram cerca de 60 categorias.

“Sou fisiculturista há 10 anos e já tinha ganhado 13 troféus na carreira. Porém, esta foi minha primeira conquista em um campeonato brasileiro”, conta.

Formado em Educação Física, Pós-Graduado em Bodybuilding Coach pela BBSFS [Bodybuilding School Fitness Solution] e Pós-Graduando em Fisiologia e Nutrição Esportiva na mesma instituição, no dia a dia, Rubens Tanaka é personal trainner, coach em assessoria esportiva e proprietário da academia Explosão Gym [Mogi Mirim], e para conquistar o pódio do último campeonato brasileiro, ele precisou disputar várias etapas classificatórias.

“Para chegar ao Brasileiro, primeiramente você passa pelo Campeonato Estreantes Paulista que classifica os primeiros colocados para o Campeonato Paulista e os quatro melhores do estadual vão para o Brasileiro”, explica.

Explica também que a colocação obtida no nacional não conta pontos para nenhum ranking estadual, nacional e/ou mundial, mas que, vale como seletiva para outros campeonatos nacionais e internacionais.

“Os três melhores do Brasileiro de 2018 foram classificados para o Campeonato Sul Americano de Fisiculturismo que acontecerá durante os dias 22 e 23 de setembro, no Paraguai. Mas desta competição eu não irei participar. Resolvi descansar”.

Também existe a possibilidade de os seis melhores disputarem o Campeonato Pan Americano, além de mais algumas competições fora do Brasil.

Competição
O sistema de apresentação e classificação dos atletas até chegar ao campeão na final é realizado por comparação feita por jurados técnicos que analisam poses iguais de cada competidor num total de aproximadamente 11 poses, julgando assim, a simetria, o volume muscular, a presença de palco e a coreografia de um minuto com música de escolha individual de cada participante.

“Dependendo do número de competidores, os jurados têm que escolher até seis atletas, e destes, são classificados os três primeiros que recebem medalhas, troféus e brindes de todos os patrocinadores do evento”.

Terminada esta etapa, inicia-se a disputa do Troféu Overall, da qual participam somente os primeiros colocados de cada categoria.  O vencedor fica com o troféu que é lugar mais alto do pódio dentro das competições de Fisiculturismo.

Apesar do Campeonato Brasileiro ser amador e não premiar os vencedores com dinheiro, o campeão do Troféu Overall conquista o Pró Card, tornando-se assim um atleta profissional, podendo a partir disto participar somente de Campeonatos Prós, onde as premiações são em dinheiro.

“Com a conquista, recebi muitos elogios, muitas mensagens e mais seguidores e pessoas procurando pelo meu trabalho”

Carreira
O atleta que é natural de São Miguel Arcanjo [SP], começou no fisiculturismo em 2008. “Nessa época eu morava no Japão e treinava numa academia em que o dono era fisiculturista e eu achava muito legal a transformação do corpo para uma competição”.

Motivado, passou a treinar e a competir. “Em minha primeira disputa no Japão, fui terceiro colocado. No ano seguinte [2009], conquistei mais uma vez o terceiro lugar”.

Em 2010, voltou para o Brasil e continuou competindo por mais dois anos seguidos, conquistando outros prêmios. Então, resolveu dar um tempo nos campeonatos, começou a estudar e especializar-se na área que hoje atua profissionalmente.

“Disputei mais alguns anos, mas não consegui boas colocações. Assim fui me especializando em cursos e passei a usar o aprendizado em mim e fui melhorando o meu físico. No ano passado voltei com tudo e fui campeão Overall no Campeonato Nacional Aberto em Limeira [SP], e nesse ano de 2018, fui campeão no Paulista pela FEPAC e campeão paulista pela FEPAF onde consegui a vaga para o Brasileiro”.

Ele ressalta que sempre interessou-se por esportes desde criança. “Já fiz todos os tipos de esportes. Mas o que eu mais me identificava era com a musculação. O fisiculturismo faz com que eu queira cada vez mais me superar, ficar melhor e manter um corpo bonito o ano todo, que também é marketing para a minha profissão”.

Treinamento
Rubens Tanaka treina em sua própria academia em Mogi Mirim, normalmente de segunda a sexta-feira. No entanto, em fase final de pré-competições, os treinos prolongam-se até os sábados. “Meus treinamentos duram em média, uma hora por dia”.

Para manter-se como atleta amador, ele conta com alguns patrocinadores que o apoiam com suplementos e manipulados. “Da minha parte, eu banco as inscrições para os campeonatos”.

Por hora, o fisiculturista deu um tempo nas competições. “Estou decidindo ainda de qual irei participar. Agora, resolvi descansar. Neste ano, já foram três campeonatos seguidos e com grandes conquistas. Talvez, em dezembro eu participe no Mr. Santos”.

Finalizando, Rubens Tanaka agradece a Deus por todos os momentos importantes de sua vida que vem realizando-se e ainda “a minha esposa por entender que não é fácil ter um marido atleta, mas principalmente, pelo apoio que faz a diferença em minhas preparações e a minha família e amigos. Obrigado!”. 

 

 

 

 

 

Tags
Mostrar mais

Flávio Ribeiro

Graduado em Comunicação Social - Jornalismo pela Pucc - Campinas. Editor-Chefe e Repórter da Revista O Pólo - Agência ODBO, é o responsável pela checagem e produção das reportagens e artigos e, também, da edição final da revista. Exerceu a função de Assessor de Imprensa de Gestão Pública e trabalhou em meios de comunicação como o Jornal Gazeta Guaçuana, Jornal Cidade e estagiou na EPTV Campinas.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close