ColunistasComportamentoVariedades

Será que posso me permitir ao ócio? Aproveite, Ano Novo, Vida Nova!

Ano Novo, Vida Nova!
Ouvimos muito esta frase no início do ano, talvez um pensamento mágico, porém um desejo legítimo de todas as pessoas que objetivam um ano diferente e uma vida melhor.
Mas… o que é necessário para que este desejo se concretize?
Penso, que o momento é oportuno para as pessoas se autoavaliarem e olharem para seus sonhos, projetos e metas, refletindo sobre os mesmos, sejam eles grandes ou pequenos.

Você já parou para pensar sobre 2018?
Quais são seus desejos, planos e projetos para o novo ano?
O que você precisa fazer para atingir essas metas?
E descansar está nos seus planos? É comum pensar sobre isso?

Há pessoas que colocam como meta conquistar um trabalho, outras almejam trabalhar mais e, há também, indivíduos que tem como objetivo reduzir sua jornada, assim, para ter mais tempo para si, para a família, para os amigos, para o lazer e para uma atividade física, ou seja, uma melhor qualidade de vida.

O que tenho observado na minha experiência profissional é que muitas pessoas têm a consciência da necessidade de descansar mais, porém, nem todos se permitem.

Atitudes compreensíveis, tendo em vista, que vivemos numa sociedade que valoriza o trabalho. Não vou me ater à importância do trabalho neste artigo, mas pretendo refletir sobre o quão desafiador é o equilíbrio, dosar o que é necessário para uma vida saudável. Compreendo que na vida moderna, na correria do dia a dia, não é fácil se desligar, se desconectar, portanto, será que é por isso que as pessoas não se permitem descansar?

Muitos sentem culpa quando não fazem ‘nada’ e é perfeitamente compreensível este sentimento, pois vivemos numa cultura como já foi dito, que não valoriza o descanso, ou talvez porque muitos olhem para o descanso com uma conotação negativa, pois quando um indivíduo está ocioso, muitas vezes, este estado é interpretado como vadiagem, preguiça, folga e/ou falta de compromisso. Se olharmos a literatura que trata sobre o assunto, veremos que as palavras descanso e ócio são sinônimos.

Pesquisas na área da Neurociência tem comprovado a importância do ócio e afirmam que momentos de descanso e lazer são importantes para solução de problemas e processos criativos. O ócio pode ser definido como um espaço de tempo em que se dedica ao descanso, ao repouso e a quietude.

Vou me ater ao ócio com esta conotação: saudável e necessário para a vida.

De acordo com Leme [2012], o ócio é um terreno, um espaço importante para que o novo tenha vida e não a solução em si. O autor também complementa que enquanto as pessoas descansam, o tempo livre é vital para que possam dar sentido e significado para suas vivências.

Assim, enquanto se descansa o cérebro trabalha, para que o indivíduo saiba o que escolher e fazer. No descanso, áreas do cérebro responsáveis pelas emoções, relacionamentos interpessoais são ativadas, principalmente a área responsável pela criação.

Veja o que Leme diz:

“Momentos de relaxamento e lazer são benéficos ao cérebro, por ativarem áreas corticais e do sistema límbico relacionados ao prazer e a recompensa. Como consequência, a resposta dessas áreas leva ao reforço do sistema imunológico, regulação do tônus do sistema respiratório e cardiovascular e harmonização do ciclo de sono vigília”.

Acreditem… é saudável o descansar, se permitir não se ocupar, não fazer ‘nada’ em alguns minutos do dia, em alguns momentos na semana, ter dias de folga, tirar férias e dedicar-se ao lazer.

Sendo assim, desejo, que possamos neste começo de ano nos permitir ao ócio, para refletir sobre nosso estilo de vida, pensarmos no que faz sentido e assim fazermos escolhas e caminharmos rumo a elas de forma criativa.

Um Ano Novo abençoado, com equilíbrio, temperança e descanso, pois como dizia o poeta Carlos Drummond de Andrade: “A vida necessita de pausas”.

 

Foto: Otávio Bueno.

 

Referências:

LEME, R. Saúde é consciência – Medicina da Saúde X Medicina da Doença – São Paulo – Ed. Saraiva, 2012.

DRUMMOND, C. Frases de Carlos Drummond de Andrade. Disponível em https://www.pensador.com/frase/NTUzNTAz/Acesso em 15/12/2017.

Tags
Mostrar mais

Clínica Bem Estar

A clínica Bem-Estar existe há mais de 20 anos e foi idealizada pelas psicólogas Silvia Gonçalves Compri e Irmã Lais Soares. Atualmente, a equipe é composta por quatro profissionais: Ana Lúcia da Costa Rafael, Adriana Pereira Rosa Silva, Flávia Lima Morgon e Patricia Galo Firmino. As psicólogas atendem crianças, adolescentes e adultos em sessões individuais, familiar e de casal, trabalhando na abordagem sistêmica, acreditando numa mudança paradigmática, onde os processos relacionais assumem significativa importância nos atendimentos e na evolução das pessoas que as procuram. Também ministram palestras, cursos para pais, professores e profissionais da área. Desenvolvem projetos sociais, consultoria e supervisões clínicas. A equipe tem como meta tornar-se um centro de referência em atendimento e formação na área da Psicologia.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Verifique também

Close
Close