Colunistas

Sobre a Medicina

A medicina é sem dúvida uma profissão nobre e, há muito sedutora.

Sou apaixonado por ela desde meus 10 anos quando por ocasião de um acidente com um funcionário de meu pai, acompanhei-os ao Pronto Socorro da Santa Casa e, xeretando pela fresta da porta, fui convidado pelo médico de plantão a acompanhar o procedimento.

Naquele  dia, me encantei e passei a sentir uma forte admiração por aquele indivíduo que tinha as mãos o poder de reparar um ferimento, tinha nas mãos, ao lidar com uma agulha e um fio, a destreza  de um artista.

Nasceu para mim,  naquele momento,  a figura de um mito – O médico. E foi assim que me transformei em um.

“A partir de um sonho nasce uma conquista e, a partir de um grande esforço surge um grande e apaixonado médico.”

A frase acima escrevi há alguns dias ao ser homenageado em uma rede social por uma jovem estudante de medicina, quando de seu atendimento,  coloquei a frente de seu nome  no receituário,  o título Doutora.

Vi na homenagem à ela, uma forma de prestigiar  todos estes jovens que aspiram pela profissão. Perpetuando e transmitindo a essência desta arte, influenciamos pessoas e estimulamos  a formação de novos médicos.

No inicio há um encantamento pelo glamour e pelo poder que esta confere àqueles que a abraçam, que juram a Hipócrates sua fidelidade.

É claro que ao longo da formação e da própria vida de médico, aprendemos que não basta só a paixão, a dedicação, o esforço, mas também o entendimento.

Entender que nosso material de trabalho é um ser humano!

É aquele ser especial em sua essência, alguém com sentimentos, uma pessoa que criou vínculos ao longo de sua trajetória, é alguém que necessita ser tratado em seu momento de dor.

Portanto, o médico é aquele que se compromete com a ciência e com o indivíduo.

Acredito que para ser um grande médico devemos entender não somente o sofrimento daqueles que por nossa ajuda procuram mas sobretudo, entender que estes sentimentos superam nossos problemas, nosso cansaço e nossas prioridades. É ter consciência que a nossa dedicação é que fará a diferença!

Necessário também e, tão importante quanto, é ter um conhecimento amplo e permanentemente reciclado, é saber distinguir que a evidência científica deve sobrepujar qualquer outro conceito menor, tendo como objetivo  trazer a cura ou a melhora da doença.

Fazer da medicina o sonho de não só cuidar dos doentes mas também,  fazer dela arte. Isto é essencial.

O mais importante da homenagem , que há alguns dias recebi, é que minhas atitudes como médico influenciam uma nova geração, incluindo meus dois filhos que, assim como eu também por ela se apaixonaram.

Fico orgulhoso em saber que a paixão por esta arte esta sendo transmitida de uma maneira bonita e natural,  preservando princípios fundamentais e entendida com admiração e respeito.

Tags
Mostrar mais

João Conrado Bueno dos Reis

João Conrado Bueno dos Reis é graduado em Medicina pela Fundação Lusíadas de Santos, com Residência em Cirurgia no Hospital Guilherme Álvaro em Santos. Especializou-se em Endoscopia Digestiva pelo Hospital Sírio e Libanês e é membro da Sobed [Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva]. Em Mogi Guaçu, é proprietário da Clínica Endogastro, sócio do serviço de Endoscopia do Hospital São Francisco e médico endoscopista da Santa Casa de Misericórdia. É casado com Leoneth Darcadia dos Reis tem dois filhos, Thiago e Thomas.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Verifique também

Close
Close