Sexta-feira , 20 Outubro 2017
Últimas Publicações
Home / Variedades / Comportamento / Solidariedade na infância

Solidariedade na infância

Pietra Bueno doou os cabelos para que outras crianças pudessem ficar felizes. FOTOS: Otávio Bueno

Pietra Salvatierra Bueno, 10, não parava de passar as mãos nos cabelos e admirar os fios. No entanto, estava decidida a cortar 20 cm deles para doar às crianças atendidas pelo Hospital Infantil de São Paulo por meio do Graacc [Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer].

“Queria cortar os cabelos. Minha mãe me falou que se eu cortasse, deveria doar. Foi o que eu fiz”, conta a estudante do 4º ano do ensino fundamental.

A garota diz estar muito feliz com a sua atitude. “Quando as crianças ficam doentes, elas ficam carecas e precisam de perucas. Daí, com cabelos novos as crianças voltam a ficar felizes”.

Com ajuda da mãe, Katherine Pinafo Salvatierra, a menina descobriu via rede social o trabalho do massoterapeuta Roberto Aiabe, 54, que atua na causa como voluntário.

“Entramos em contato. Ele [Roberto] explicou como deveríamos fazer para doar os meus cabelos. Como as doações são feitas por pessoas de todas as partes do país, a entrega pôde ser feita pelos correios. O doador pode cortar com um cabeleireiro da sua preferência”, relata Pietra.

Com a chegada do período das festas de fim de ano, Pietra Bueno comenta o que deseja para o ano de 2017. “Que o mundo todo seja feliz. Que ninguém roube nada de ninguém e que as pessoas cuidem do meio ambiente”.

Para as crianças que doou os cabelos, mas que não conhece, manda a seguinte mensagem: “que elas sejam felizes, porque tudo que estão passando é uma fase. Pois quando estiverem curadas, elas terão os cabelos próprios de novo”.

14799760_698496103637961_1157344790_oCabelos

O massoterapeuta Roberto Aiabe explica que recebe doações de todo o Brasil. “Em média recebo 1,5 mil mechas por ano e percebo o crescimento de pessoas aderindo a essa ação, o que me deixa muito feliz. Tenho doadoras que já ajudaram pela segunda vez”.

Segundo Aiabe, a ação é abrangente. “Além de receber cabelos do Brasil inteiro, recebo doações do exterior. Tudo isso graças às redes sociais, que permitem essa a aproximação entre as pessoas”.

Conta que escolheu o Graacc porque “o Hospital Infantil é referência em tratamento de câncer no país e atende crianças desde bebês até a adolescência. Trabalho nessa causa há dois anos e oito meses”.

Esclarece também que “doações de cabelos acima de 20 cm podem ter quaisquer tipos de químicas e progressivas, perucas e mega hairs de cabelos humanos também são aceitos”.

Roberto Aiabe faz um apelo. “Quem tem a intenção de cortar seus cabelos longos, por favor, não joguem fora porque é um grande desperdício. Doe e colabore com o próximo”, conclui.

Pessoas interessadas na causa podem entrar em contato com Roberto Aiabe pelos canais:

Facebook: ‘Doação de Cabelos para HC Infantil’

Instagram: @doacaocabelosde

Whatsapp: [11] 98748.4336  

Sobre Flávio Ribeiro

Graduado em Comunicação Social - Jornalismo pela Pucc - Campinas. Editor-Chefe e Repórter da Revista O Pólo - Agência ODBO, é o responsável pela checagem e produção das reportagens e artigos e, também, da edição final da revista. Exerceu a função de Assessor de Imprensa de Gestão Pública e trabalhou em meios de comunicação como o Jornal Gazeta Guaçuana, Jornal Cidade e estagiou na EPTV Campinas.

Confira Também

Foto: Arquivo Pessoal

‘Los Tarados’ comemora 20 anos com evento carnavalesco e de solidariedade

Cerca de 500 pessoas compareçam ao evento do ‘Pré Carnaval Los Tarados 20 Anos’ organizado ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *