Sábado , 18 Novembro 2017
Últimas Publicações
Home / Variedades / Comportamento / Vítima de AVC, mogimiriano vence a morte e quer disputar Paraolimpíadas-2020

Vítima de AVC, mogimiriano vence a morte e quer disputar Paraolimpíadas-2020

Rodolfo Lucas voltou a praticar esportes e é campeão de hipismo e tênis de mesa

Rodolfo Lucas era jogador de futebol e teve carreira interrompida pelo trauma

Era uma segunda-feira comum, 13 de junho de 2011, quando o mogimiriano Rodolfo Luís Bertassoli Lucas, 27, saiu para correr com o cão de estimação no fim de tarde na cidade americana de Arlington, a cinco minutos de Washington D.C. Porém naquele dia, o seu cotidiano tomou outro rumo e acabou transformando a vida do ex-jogador de futebol.

Durante o exercício, Rodolfo Lucas passou mal e sofreu um AVC [Acidente Vascular Cerebral], afetando drasticamente o lado esquerdo de seu cérebro, fazendo que, paralisasse e deixasse sequelas no lado direito de seu corpo.

“Eu simplesmente caí e não me lembro de nada mais. Fui socorrido por um senhor que passava pelo local que acionou a emergência médica”.

Depois do trauma, foram oito dias de coma e mais um mês e meio de recuperação no Virginia Hospital Center.

Os pais, Luís Gonzaga Lucas e Marilze Lourdes Bertassoli Lucas, viajaram para a América e contam que “se não fosse o atendimento de saúde pública norte-americana, nós temos certeza que hoje ele não estaria mais conosco”.

_MG_0585
Os pais Luis e Marilze nunca desistiram da recuperação do filho

Após receber alta em 26 de julho de 2011, a família permaneceu mais um mês nos Estados Unidos. Ao retornar ao Brasil, o tratamento passou a ser realizado em São Paulo, quando o médico que o acompanhou deu o parecer mais triste e duro.

“Quando o médico o avaliou, ele nos disse que a situação do Rodolfo era para cadeira de rodas, na cama ou morto. Sentimos o chão ruir sob os nossos pés”, contam os pais.

Daquele momento até os dias atuais, o que se viu de Rodolfo Lucas foi uma belíssima história de luta pela vida. E ele venceu com todos os méritos possíveis.

Com fisioterapias intensas, aulas de fonologia e acompanhamento neurológico, Rodolfo Lucas começou a caminhar com andador, reaprendeu a falar, comer e escrever com a mão esquerda. E foi muito mais além. Voltou a praticar esportes e se tornou campeão de hipismo e tênis de mesa. “Ando sem ajuda. Tenho independência e uma vida normal”, conta com alegria Rodolfo Lucas.

Rodolfo Lucas - 05Rodolfo Lucas - 01Para o futuro, já tem metas estabelecidas. “Pretendo me dedicar totalmente aos treinamentos de hipismo e tênis de mesa, alcançar índice para a seleção brasileira e disputar as Paraolimpíadas de Tóquio [Japão], em 2020. Não sei em qual modalidade me sairei melhor. Mas vou atrás de conquistar a perfeição em uma delas”, revela.

 

A história

Aos 17 anos, Rodolfo Lucas mudou-se para os Estados Unidos para estudar Relações Internacionais e Administração pela Valparaiso University [Coffeyville], perto de Chicago, e jogar futebol profissionalmente pela faculdade. Como jogador atuava na posição de volante.

“Toda a minha vida eu joguei futebol e fui para lá com o objetivo de dar prosseguimento à carreira esportiva”, diz ele.

No período de seis anos que antecederam o AVC, ele viajou a passeio para países como Hong Kong, Filipinas, México e Canadá. Também esteve  na China para fazer estágio de conclusão de curso de Relações Internacionais.

Especializou-se em quatro idiomas fluentemente: inglês, espanhol, francês e mandarim, além da língua portuguesa.

“Com o AVC, os idiomas foram apagados da minha memória. Mas ainda consigo me comunicar um pouco em inglês”.

 

Rodolfo Lucas - 03Ano Novo

Para 2016, Rodolfo Lucas diz para as pessoas que “não desistam nunca dos seus objetivos. Acreditem. Eu sempre acreditei que fosse me recuperar e, por isso, estou aqui contando a minha história. Não desistam nunca. Essa é a meta de superação para todos no próximo ano”.

Sobre Flávio Ribeiro

Graduado em Comunicação Social - Jornalismo pela Pucc - Campinas. Editor-Chefe e Repórter da Revista O Pólo - Agência ODBO, é o responsável pela checagem e produção das reportagens e artigos e, também, da edição final da revista. Exerceu a função de Assessor de Imprensa de Gestão Pública e trabalhou em meios de comunicação como o Jornal Gazeta Guaçuana, Jornal Cidade e estagiou na EPTV Campinas.

Confira Também

Paraolimpíadas: evento de todos

No último dia 07 de setembro, o mundo presenciou a abertura oficial das Paraolimpíadas no ...

Um comentário

  1. Alba Antonia de Andrade Felisberto

    Parabéns!
    Você é um grande vitorioso!
    Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *