CidadeColunistasComportamentoGeral

Existe a possibilidade dos nossos jovens adolescentes serem protagonistas de suas vidas?

O jovem adolescente de maneira geral quer ser protagonista da própria vida e ir atrás dos seus sonhos é um ponto importante

É muito comum ouvirmos que o jovem de hoje é muito dependente dos pais. Contudo, esses mesmos jovens dominam a tecnologia e todas as formas de comunicação do mundo atual com a maior habilidade do que os adultos à sua volta e, isso, é um fato. Conseguem perceber o tamanho do desafio relacional entre os pais e os jovens na atualidade?

Penso e constato no meu dia a dia que o jovem adolescente de maneira geral quer ser protagonista da própria vida e ele pode receber e buscar ajuda, se autoconhecer, saber quais de suas crenças são limitantes, quais valores que quer manter e os que quer transformar. Ele pode inclusive desenvolver novas habilidades emocionais e técnicas. Porém, terá certeza dos passos a seguir?

Encorajar os filhos a irem atrás dos seus sonhos é um ponto importante; outro, é se sentir totalmente responsável por suas escolhas. Se tem uma habilidade em alta é a criatividade e sabemos que no futuro teremos novas profissões/tarefas, sendo que outras irão se transformar ou simplesmente desaparecer. Será que o excesso de zelo por parte dos pais tem alimentado na mente desse jovem veloz e antenado o medo de errar?

Nas minhas palestras para jovens sobre autoliderança, o retorno é sempre de que perceberam com maior clareza que precisam acreditar na capacidade de pegar aos poucos as rédeas da própria vida e, isso, inclui criar rotas, transpor desafios, questionar o que lhes é colocado como caminho ‘certo’. Contudo, é preciso poder errar, sim, isso mesmo!  Podemos ter 15, 20, 30, 40, 50, 60, 70, 80 anos e nunca teremos certeza das nossas escolhas. É óbvio que ouvir e aprender com a experiência de outras pessoas é sinal de humildade, bom discernimento e colabora para o autodesenvolvimento e o aumento do conhecimento.

Como mãe de filhos adultos conto para vocês que eles escolheram caminhos diferentes do que eu imaginava na época e, hoje, estão felizes e realizados com suas escolhas. Foi um desafio no início aceitar, contudo, eles me convenceram disso.

“Os jovens, necessitam buscar repertório para argumentar com seus pais, familiares, tutores. Aparentemente é mais fácil se oporem ou até mesmo romperem com as pessoas que amam, porém, eles podem ajudar os adultos a compreenderem o que querem e assim formar um time”

Meus filhos me ensinaram muito a partir da escolha deles e eu com minha história de vida que é de uma mulher que começou a trabalhar aos 14 anos e foi fazer uma faculdade sem apoio financeiro, familiar e até mesmo social, os ensinei.

Vivemos um mundo de incertezas como jamais se viveu antes e, ao mesmo tempo, repleto de possibilidades. Aprendo muito com os jovens e a cada dia mais me surpreendo com a precocidade e a maturidade de muitos. O mundo hoje aceita melhor a diversidade e isso pode entusiasmar a todos. Temos jovens que trabalham desenvolvendo jogos de videogame, outros jogando e outros ensinando a jogar. A geração de hoje é diferente de décadas passadas e penso que comparações, de maneira geral, incluem julgamentos, críticas e distanciamento entre as pessoas.

Segue abaixo uma carta que resolvi escrever aos jovens e, se puder, compartilhe:

Ao jovem com carinho,
Um dia já estive no seu lugar e um dia você estará no meu. Quando penso nos desafios que já enfrentei sinto orgulho e jamais autopiedade. E olha que tem história, viu?
Construir uma vida pautada em desafios e objetivos nos faz mais resilientes. Não desista dos seus sonhos e se aparecer uma pedra…você pode esculpir, desviar e até mesmo mover.
Aproveite toda essa energia para praticar esporte, se rodeie de pessoas que lhe entusiasme, trabalhe duro para conseguir o que quer, tenha fé!!!

Na prática é importante:
Pense no que quer, sem preconceitos, sem julgamentos ou certezas.
Acumule conhecimento, embasamento para entusiasmar seus pais a serem seus parceiros e ‘talvez’ eles possam te apoiar.
Monte um projeto de vida com os passos a serem alcançados com prazos e olhe para eles todos os dias.
Conte com a ajuda de outras pessoas; pergunte, escute.
Errar faz parte, mude a rota, desenvolva um pouco de paciência diante da sua rapidez.
A primeira pessoa que precisa convencer para ser protagonista de sua vida é você mesmo.

Nunca perca a oportunidade de ser feliz e amar as pessoas nesse caminho que se chama: SUA VIDA!

Um abraço muito carinhoso,

Foto: Otávio Bueno

Ana Lúcia da Costa Rafael –Psicóloga Clínica, terapeuta familiar, casal e individual. Especialista em Psicologia Clínica pelo CRP/SP, pós-graduada pela PUC/SP em terapia familiar, casal e individual. Ministra palestras e cursos para pais, educadores e psicólogos. Formada pelo Programa Internacional em Práticas Colaborativas e Dialógicas/Houston Galbeston Institute [Texas] e Taos Institute [Novo México].

Tags
Mostrar mais

Clínica Bem Estar

A clínica Bem-Estar existe há mais de 20 anos e foi idealizada pelas psicólogas Silvia Gonçalves Compri e Irmã Lais Soares. Atualmente, a equipe é composta por quatro profissionais: Ana Lúcia da Costa Rafael, Adriana Pereira Rosa Silva, Flávia Lima Morgon e Patricia Galo Firmino. As psicólogas atendem crianças, adolescentes e adultos em sessões individuais, familiar e de casal, trabalhando na abordagem sistêmica, acreditando numa mudança paradigmática, onde os processos relacionais assumem significativa importância nos atendimentos e na evolução das pessoas que as procuram. Também ministram palestras, cursos para pais, professores e profissionais da área. Desenvolvem projetos sociais, consultoria e supervisões clínicas. A equipe tem como meta tornar-se um centro de referência em atendimento e formação na área da Psicologia.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Close
Close