ColunistasComportamentoGeral

Felicidade: utopia ou possibilidade?

Quantos de nós não ouvimos a seguinte frase: “Se você trabalhar muito será bem-sucedido e feliz”. Ou pensamentos como: “Quando eu comprar aquele carro serei feliz”, ou ainda, “Quando emagrecer serei feliz”. Está é a fórmula que nos foi ensinada. Aprendemos desde cedo que a felicidade vem após a conquista de algo, mas essa ideia tem se mostrado falsa.

Estudos recentes da Psicologia Positiva, uma área da Psicologia que por meio de experimentos científicos tem se proposto a investigar os fatores que trazem bem-estar e que estão relacionados à felicidade, comprovam que felicidade e otimismo e a maneira como lidamos e enxergamos os problemas do dia a dia e o estresse, é que são os impulsionadores do desempenho para alcançar o sucesso. Deste modo, as pesquisas mais recentes vêm apontando que o bem-estar e a felicidade levam ao sucesso e não o contrário.

O que você tem colocado como condição para ser feliz?

Tenho observado na minha prática clínica muitos adultos vivendo no automático, outros trabalhando muito e relatando com frequência as frases “Estou tão cansado (a)”, “Mas eu ainda tenho  tanta coisa para fazer”, “Nossa!  Meu dia teria que ter 48 horas” ….

O que será que está acontecendo?

Como encontrar limite em um mundo sem limite, onde tudo é para ontem?

Vivemos em uma sociedade que romantiza a falta de tempo e o excesso de trabalho. Sabendo disso, precisamos fazer a nossa parte, precisamos olhar para isso. Isso implica em nos conhecer, olhar para as nossas necessidades, descobrir quais são nossos pontos fortes e tentar incorporar pelo menos um deles na vida todos os dias.

Para tal, pense:
O que você faz por você e por quê?
Como você tem se cuidado?
Como está seu sono e sua alimentação?

Questões simples, mas importantes e fundamentais para uma vida saudável e que dizem respeito ao autocuidado.

Não há problemas em ter prazer em seu trabalho, porém, é preciso buscar equilíbrio. A neurociência tem nos alertado que uma pessoa que faz várias coisas ao mesmo tempo pode sofrer de estafa, se sentir sobrecarregada, sem energia e acabar adoecendo. Muitas pessoas estão adoecendo física e mentalmente e o que podemos fazer, ou melhor, o que você pode fazer?

Nós profissionais liberais, os que trabalham com vínculo empregatício ou você que se dedica ao trabalho de administrar seu lar, precisa se incluir na sua agenda e se colocar como prioridade. Estou falando de horas de sono, de atentar para alimentação, de separar um tempo para se cuidar e, para isso, é necessário aprender a dizer “Não”.

O não é fundamental para você criar mais espaço para seu autocuidado. Esse desgaste, cansaço físico e mental, que muitos relatam atualmente vem pela nossa falta de pausas, esse ativismo é excesso de “Sim”. Dizer não é fundamental, busque esse equilíbrio sempre.

O que efetivamente é preciso fazer agora?

É necessário descansar, buscar uma vida equilibrada e treinar seu cérebro para enxergar oportunidades de mudar o nosso futuro. Entenda que ser feliz não é acreditar que precisamos mudar, é perceber que podemos. Devemos parar de esperar para no futuro ser feliz e agir para nos tornarmos mais felizes agora, isso implica em ser protagonista, em assumir o controle na nossa vida e desenvolver boas práticas no cotidiano de nossos desafios profissionais também.

Com o objetivo de contribuir para seu bem-estar nesse contexto gostaria de compartilhar com você algumas práticas simples, baseadas em pesquisas científicas, sugeridas por Achor no livro “O jeito Harvard de Ser Feliz”.

Essas práticas funcionam como ferramentas para aumentar o bem-estar:
Ao levantar todos os dias lembre-se de ser grato por três coisas que foram boas no trabalho no dia anterior. Esse exercício ajudará seu cérebro a se conscientizar o que é bom em sua vida, gerando um ciclo virtuoso;
Faça exercícios e medite. Essas práticas melhoram seu humor e seu desempenho;
Procure aprimorar suas habilidades profissionais com o talento que você tem, quanto mais você utilizar seus pontos fortes, mais experimentará uma explosão de positividade;

Invista, regue sua rede de apoio. Está comprovado que quanto maior apoio social, melhor você estará consigo mesmo. As pessoas mais bem-sucedidas investem em seus amigos, em seus colegas, em membros da família para se estimularem e impulsionarem uns aos outros.

Invista seus recursos de forma sábia; gaste mais dinheiro com experiências positivas, com pessoas do que com coisas, colecione momentos com pessoas que são importantes para você.

“Quando tiramos um tempo para perceber as coisas que estão indo bem para nós, isso significa que estamos recebendo pequenos prêmios ao longo do dia”.
                                                                                                                 Martin Seligman

 

Lembrem-se que a vida é um sopro, mas é também um presente de Deus!

Usufrua deste presente!

Sintam-se abraçados!

 Referências
Achor, S O jeito Harvard de ser feliz: o curso mais concorrido da melhor universidade do mundo; tradução Cristina Yamagami. São Paulo: Saraiva, 2012.

 

Foto: Otávio Bueno

Patrícia Galo – Psicóloga Clínica, Terapeuta Individual, Familiar e Casal. Especialista em Terapia Familiar e de Casal pela UNIFESP, Especialista em Aconselhamento Cristão, Formação em Psicoterapia Breve pela Unicamp e Pós-Graduada em Metodologia do Ensino Superior. Ministra palestras e cursos para pais, educadores e profissionais.

 

 

 

Mostrar mais

Clínica Bem Estar

A clínica Bem-Estar existe há mais de 20 anos e foi idealizada pelas psicólogas Silvia Gonçalves Compri e Irmã Lais Soares. Atualmente, a equipe é composta por quatro profissionais: Ana Lúcia da Costa Rafael, Adriana Pereira Rosa Silva, Flávia Lima Morgon e Patricia Galo Firmino. As psicólogas atendem crianças, adolescentes e adultos em sessões individuais, familiar e de casal, trabalhando na abordagem sistêmica, acreditando numa mudança paradigmática, onde os processos relacionais assumem significativa importância nos atendimentos e na evolução das pessoas que as procuram. Também ministram palestras, cursos para pais, professores e profissionais da área. Desenvolvem projetos sociais, consultoria e supervisões clínicas. A equipe tem como meta tornar-se um centro de referência em atendimento e formação na área da Psicologia.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Close
Close