Coluna da Fabi

Um mal silencioso

A depressão é uma doença psiquiátrica extremamente comum. Estima-se que 19% da população sofra desse mal. É caracterizada por uma alteração do humor, deixando o indivíduo triste além do normal, desanimado, sem energia, com baixa autoestima e com dificuldade de lidar com sua vida pessoal e profissional.

Essa doença causa alterações químicas no cérebro, em relação aos neurotransmissores [serotonina e noradrenalina]. O estresse é um dos fatores que pode antecipar a depressão. Mas, ela também pode surgir de algum trauma ou problema não resolvido.

São vários os sintomas da depressão e entre eles destaco: irritabilidade, ansiedade, angústia, desânimo, cansaço fácil, incapacidade de sentir alegria em atividades que eram consideradas prazerosas, falta de motivação, indecisão, medo, insegurança, desespero, sensação de vazio e baixa autoestima.

O médico deve ser procurado para que a doença seja diagnosticada e tratada. Existem inúmeros remédios para combater esse mal e ao contrário do que a maioria das pessoas pensam, eles não causam dependências. São medicamentos necessários para melhorar o quadro clínico do indivíduo e tratar os vários sintomas citados acima. A psicoterapia e a prática de atividade física também se aliam como forma de tratamento.

Quando se inicia uma atividade física, há uma excitação no estado geral do corpo. Durante o exercício o corpo libera endorfina, conhecida como ‘hormônio da alegria’ que gera uma sensação de bem-estar e alegria. A dopamina também é liberada e esse hormônio age como um ‘analgésico’ e ‘tranquilizante’. Ambos têm influência sobre o humor e a emoção.

Exercícios ao ar livre proporcionam a produção de serotonina, importante neurotransmissor que ajuda, entre outras funções, regular o humor e a temperatura corporal. Esse tipo de atividade aumenta a motivação e a energia, diminuem a tensão, a raiva, a confusão mental e, consequentemente, a depressão.

Lembre-se: a pessoa depressiva tem uma tendência a sentir muito cansaço. Por isso, sugiro uma caminhada lenta por 5 minutos, em seguida uma caminhada um pouco mais rápida por 10 minutos e um descanso de 2 minutos. Se a pessoa conseguir, repita essa sequência duas ou três vezes ou vá aumentando diariamente, até o exercício virar um hábito.

Ninguém gosta de se sentir deprimido. Esse sentimento não é uma escolha e, sim, uma doença. Se você se identificou com o texto acima ou identificou alguém do seu convívio, procure ajuda. Às vezes, a depressão leva anos para ser diagnosticada e quanto mais cedo você correr atrás do tratamento, mais rápido e eficaz ele será.

Espero ter ajudado um pouquinho.

Um beijo e até a próxima semana!

Tags
Mostrar mais

Fabi Matos

Fabiana Nunes de Matos Bueno é graduada em Educação Física e trabalha como personal trainner ministrando aulas de pilates e funcional em seu estúdio.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Close
Close