ColunistasComportamento

Você gosta de mudanças?

Toda mudança é necessária e traz uma nova oportunidade para rever, perceber e reavaliar o seu estilo de vida

Desde muito cedo, somos obrigados a mudar e nos adaptar a novas situações e ambientes diferentes, como por exemplo, a escola e com ela uma nova rotina, a habilidade de aprender coisas novas, mais tarde o trabalho e suas adaptações e desafios.

Mudanças são necessárias e inevitáveis durante a vida e podem gerar as mais variadas sensações e reações em cada um de nós. Muito disso pode estar relacionado inclusive a nossa história de vida, a nossa personalidade e como esse tema nos foi apresentado.

Muitos enxergam as mudanças como uma oportunidade de crescimento, de autoconhecimento, encaram com mais leveza as situações inesperadas e compreendem que são imprescindíveis.

Outros encaram esse processo com parcimônia e acreditam que seja necessário ter calma e coragem para aprender lidar com todas as adversidades que requer uma nova etapa.

Em situações novas o medo pode aparecer. Isso é natural e é importante ressaltar que todo processo de mudança necessita de organização, tempo, disponibilidade e requer amadurecimento, por isso, atitudes impulsivas devem ser refletidas e evitadas.

O que não é saudável é quando o medo se torna paralisante e faz com que continuemos na mesma rotina e com os mesmos hábitos, persistindo em uma aparente zona de conforto. Pequenas alterações na rotina podem auxiliar quem apresenta essa dificuldade com o novo, como por exemplo, mudar o trajeto de casa para o trabalho ou fazer alguma alteração em seu ambiente; no início parece muito complexo, mas depois pode gerar contentamento e favorecer novas possibilidades.

É necessário olhar para os medos e reconhecer que a transformação é importante e necessária para o desenvolvimento humano, caso haja dificuldade, busque ajuda. A psicoterapia pode auxiliar nesse processo de superação, estimular o autoconhecimento e ajudar com estratégias para que possa reagir melhor às transformações e pensar em várias formas de diminuir o sofrimento.

E você, quando ouve a palavra mudança, o que vem à sua mente?
Gosta da ideia?
Gera sofrimento?
Se empolga?
Tem uma sensação de medo?
Fica motivado?

Como já foi dito, toda mudança é necessária e traz uma nova oportunidade
para rever, perceber e reavaliar o seu estilo de vida.

“Embora o mudar para algumas pessoas seja uma tarefa difícil, esse movimento
pode fazer muito bem e descobrir capacidades que até então eram desconhecidas”

As mudanças podem ajudar a nos sentirmos vivos, motivados, continuar com vontade de evoluir e, assim, nos tornarmos mais felizes e completos. Dessa forma, também teremos mais desempenho em nossa vida pessoal e profissional.

Novos desafios sempre fazem crescer e nós da Clínica Bem-Estar estamos vivendo esse processo de mudança e estamos muito satisfeitas e motivadas com isso. É importante deixar claro que esse processo já está sendo organizado há algum tempo por nós e por muitos profissionais que têm nos auxiliado.

Estamos nos esforçando para que a mudança aconteça da melhor forma possível para que possamos Viver e Ser com sabedoria, competência, ética e profissionalismo.

Termino esse artigo com uma frase que melhor expressa esse tema para mim:

“Mude, mas comece devagar, porque a direção é mais importante que a velocidade.”
                                                                                                           (Clarice Lispector)

Foto: Otávio Bueno

Flávia A. Lima – Psicóloga Clínica, terapeuta familiar, casal e individual.  É coordenadora de grupo de apoio para religiosos. Ministra palestras e cursos para pais e educadores. Formada pelo Programa Internacional em Práticas Colaborativas e Dialógicas/Houston Gabeston Institute [Texas] e Taos Institute [Novo México].

Tags
Mostrar mais

Clínica Bem Estar

A clínica Bem-Estar existe há mais de 20 anos e foi idealizada pelas psicólogas Silvia Gonçalves Compri e Irmã Lais Soares. Atualmente, a equipe é composta por quatro profissionais: Ana Lúcia da Costa Rafael, Adriana Pereira Rosa Silva, Flávia Lima Morgon e Patricia Galo Firmino. As psicólogas atendem crianças, adolescentes e adultos em sessões individuais, familiar e de casal, trabalhando na abordagem sistêmica, acreditando numa mudança paradigmática, onde os processos relacionais assumem significativa importância nos atendimentos e na evolução das pessoas que as procuram. Também ministram palestras, cursos para pais, professores e profissionais da área. Desenvolvem projetos sociais, consultoria e supervisões clínicas. A equipe tem como meta tornar-se um centro de referência em atendimento e formação na área da Psicologia.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Close
Close